O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ quinta-feira‌ ‌(07)‌ ‌em queda de -0,01%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.710,86 pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ outubro ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ -0,17%‌ ‌e‌ -5,54%,‌ ‌respectivamente.‌

Já o ‌‌índice‌‌ ‌‌‌‌SUNO30‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌em‌‌ alta de 0,11%‌ ‌‌e‌‌ ‌98,38 pontos.‌‌ ‌‌Veja‌‌ ‌‌na‌‌ ‌‌tabela‌‌ ‌‌‌abaixo:‌‌ ‌ 

fechamento fiis

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

JSRE11 divulga resultados e informa sobre novas locações de imóveis

O Safra Asset, gestor do fundo JS Real Estate Multigestão (JSRE11) comunicou nesta quinta-feira (7) aos seus investidores, os resultados referentes ao mês de setembro. Desta forma, a gestão também informou sobre a locação de imóveis do fundo.

O JSRE11 anunciou rendimento de R$0,53 por cota, a ser distribuído no dia 22/10, aos detentores de cotas com base no dia 30/09. Confira abaixo:

JSRE11

Neste caso, a distribuição corresponde a um dividend yield de 0,66% no mês (anualizado 7,92%) líquido de IR, com base na cota de fechamento do último mês (R$80,30). A gestão comentou que esse percentual representa cerca de 177% do DI líquido (CDI). 

A gestão informou que no mês de setembro foi fechado um acordo comercial para duas novas locações nos imóveis do portfólio fundo, que somam aproximadamente 2.400 m². 

Detalhes sobre seu portfólio

A gestão informou que no mês de setembro foi fechado um acordo comercial para duas novas locações nos imóveis do portfólio fundo, que somam aproximadamente 2.400 m². 

Desta forma, no mês de outubro o fundo formalizará os documentos definitivos, trazendo todos os detalhes do contrato e da redução da vacância do seu portfólio. 

O Safra Asset destacou que desde agosto a gestão vem alocando recursos em alguns fundos imobiliários de CRI pós fixados para melhorar a gestão de caixa do fundo. 

Já na carteira de FIIs, a gestão disse que o fundo possui ativos que acumulam atualmente um ganho de capital de aproximadamente R$38 milhões e que pode ser usado para compor o rendimento no patamar atual de R$0,53 por cota nos próximos trimestres. 

Enquanto isso,  a gestão reforça continuar trabalhando na locação do seu portfólio. 

Também, a gestão deixou claro que o JSRE11 não pretende fazer emissão de novas cotas no curto prazo, dado o momento de mercado dos fundos de lajes corporativas e consequentemente o nível de preço atual do fundo. 

Pelo lado macroeconômico, a gestão que o índice de inflação IGP-M, que baliza muitos dos nossos contratos de locação, teve queda de 0,64% em setembro e acumula alta de 24,86% nos últimos 12 meses. Confira abaixo o perfil dos ativos do fundo:

JSRE11

O JS Real Estate Multigestão é um fundo imobiliário do tipo híbrido, que possui diferentes tipos de investimentos no setor imobiliário, seja em imóveis, outros fundos imobiliários ou títulos de renda fixa. 

RECR11‌ divulga ‌resultados‌ ‌e‌ informa compra‌ e venda de CRIs

A‌ ‌gestora‌ ‌do‌ ‌‌FII‌ ‌REC‌ ‌Recebíveis‌ ‌Imobiliários‌ ‌(RECR11)‌,‌ ‌detalhou‌ ‌em‌ ‌‌relatório‌ ‌gerencial‌ ‌divulgado‌ ‌na‌ ‌última‌ ‌quinta-feira‌ ‌(7),‌ ‌os‌ ‌resultados‌ ‌do‌ ‌fundo‌ ‌referente‌ ‌ao‌ ‌mês‌ ‌de setembro.‌ Também,‌ ‌a‌ ‌‌Real‌ ‌Estate‌ ‌Capital‌ apresentou suas recentes aquisições e venda de ativos do fundo.‌ ‌ 

Em 15 de outubro de 2021, referente ao resultado do mês de setembro, o Fundo distribuirá o montante de R$ 21.043.887. Este mês, os cotistas receberão o rendimento por cota, equivalente a R$ 1,0859. 

No acumulado dos últimos 12 meses, a distribuição de rendimentos do Fundo corresponde a 14,5% a.a., ou o equivalente a 482% do CDI. Após dedução do imposto de renda, tributo que incide sobre rendimentos decorrentes de aplicações financeiras, o rendimento do Fundo passa a equivaler a 567% do CDI líquido do tributo. 

Movimentação na carteira do fundo

O RECR11 encerrou o mês com 98% de seus recursos alocados em CRIs, distribuídos em 76 operações. 

Confira abaixo as principais alocações do RECR11: 

  • CRI 3Z Realty: o volume total adquirido corresponde a R$ 84.000.000. A taxa de aquisição do CRI corresponde a IPCA + 7,50% ao ano. 
  • CRI VCA: o volume total adquirido corresponde a R$ 30.000.000. A taxa de aquisição do CRI corresponde a IPCA + 7,00% ao ano. 
  • CRI Cunha da Câmara 2: O volume adquirido corresponde a R$ 3.485.157. A taxa de aquisição do CRI corresponde a IPCA + 8,50% ao ano. 
  • CRI VIC 2: O volume adquirido corresponde a R$ 15.443.703. A taxa de aquisição do CRI corresponde a IPCA + 8,00% ao ano. 
  • CRI Colmeia: o volume total adquirido corresponde a R$ 548.968. A taxa de aquisição do CRI corresponde a IPCA + 10,00% ao ano. 
  • CRI CashMe 2: o volume adquirido corresponde a R$ 56.466.742. A taxa de aquisição do CRI corresponde a IPCA + 5,75% ao ano. 
  • CRI Embraed: O volume adquirido corresponde a R$ 204.312. A taxa de aquisição do CRI corresponde a IPCA + 7,00% ao ano. 
  • CRI Codepe: O volume adquirido corresponde a R$ 1.627.609. A taxa de aquisição do CRI corresponde a IPCA + 7,67% ao ano. 
  • CRI Olimpo: O volume adquirido corresponde a R$ 1.251.249. A taxa de aquisição do CRI corresponde a IPCA + 7,50% ao ano 
  • Novo CRI Realiza: O volume do CRI foi majorado de R$ 64.291.922,53 para R$89.800.000, a taxa da operação foi alterada para IPCA + 7,10% ao ano. 
  • Novo CRI SG Laguna: O volume do CRI foi de R$62.866.000, a taxa da operação foi alterada para IPCA + 9,50% ao ano. 

O fundo também realizou venda de ativos: 

  • CRI Helbor 3: R$ 19.434.661; 
  • CRI Gafisa - Término de obra: R$ 16.000.268; 
  • CRI Fasano Salvador: R$ 31.609.941. 
  • Liquidação Antecipada de CRI REMIC a R$ 3.526.392. 

Nova emissão de cotas

A gestão reforçou que foi aprovada em 20 de setembro a realização da 11ª emissão de novas cotas do RECR11. 

O valor total da oferta é de R$ 549.999.912,00, com 5.612.244 de novas cotas pelo preço por de R$ 98,00. 

O FII REC Recebíveis Imobiliários é um fundo imobiliário do tipo papel com foco na gestão ativa de ativos de renda fixa com preponderância em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs). 

XPML11 mostra resultados e reforça a recuperação do setor de shoppings

O Fundo de Investimento Imobiliário XP Malls (XPML11), gerido pela XP Asset Management, divulgou nesta quinta-feira (07) os resultados e rendimentos do mês de setembro. Além disso, o fundo reforça a recuperação do setor de shoppings, apresentando bons números.

No dia 17 de setembro, o fundo divulgou a distribuição de R$ 0,57 por cota, com pagamento em 24/09/21 para os detentores de cotas em 17/09/21.  Confira abaixo:

XPML11

Recuperação do setor 

A gestão destacou que após uma sequência de meses em franca recuperação, iniciada em maio, logo após a reabertura dos shoppings pós-segunda onda do COVID-19, o mês de agosto mostrou um revés no setor do varejo. Agora, o problema estava em fatores macroeconômicos. 

Mesmo assim, o setor segue em recuperação. A gestão ressalta que os fundos continuam com diminuição da vacância dos portfólios, um nível alto de comercialização das lojas, descontos e inadimplência em queda e principalmente com vendas em ascensão. Isso inclui o XPML11. 

No portfólio do fundo, todos os indicadores operacionais apontam para uma recuperação. As Vendas por m² tiveram aumento de 11,0% comparado a agosto/19 e os indicadores de SSS (Vendas Mesmas Lojas) e SSR (Alugueis Mesmas Lojas) cresceram, respectivamente, 35,1% e 50,6%. 

Confira abaixo os indicadores de vendas por metro quadrado e NOI:

XPML11

Este último número mantém sua tendência de crescimento, alavancado pela diminuição dos descontos, que já em agosto/21 atingiram 3,5% sobre o faturamento do mês. A gestão disse que este número está bem próximo do nível visto antes da pandemia. 

Shopping em construção

Por fim, a gestão destacou que o fundo é detentor de um CRI conversível em participação no CJ Shops Faria Lima. Este ativo, que ainda será construído por parte da JHSF, será construído uma das esquinas mais premium da cidade de São Paulo capital, a Rua Leopoldo Couto de Magalhães e a Avenida Faria Lima. 

O projeto terá cerca de 11.000 m² de ABL e a participação exata do fundo no ativo ainda encontra-se em negociação comercial com a incorporadora

O XP Malls FII tem como objetivo a obtenção de renda por meio da exploração imobiliária de shopping centers, bem como o ganho de capital, mediante a compra e venda de ativos do setor.