O‌‌ ‌‌‌‌IFIX‌‌‌‌ ‌fechou‌ ‌‌a‌‌ ‌‌última‌‌ quarta-feira‌‌ ‌‌(12)‌‌ ‌‌em‌ ‌alta‌ ‌de‌ ‌0,35%,‌‌ ‌terminando‌ ‌‌o‌‌ ‌‌dia‌‌ ‌‌em‌ ‌2.764,28 ‌pontos.‌‌ ‌‌No‌‌ ‌‌acumulado‌‌ ‌‌do‌‌ ‌‌mês‌‌ ‌‌de‌‌ ‌janeiro‌ ‌‌e‌‌ ‌‌do‌‌ ‌‌ano‌‌ ‌‌de‌‌ ‌‌2022,‌‌ ‌‌a‌‌ ‌‌variação‌‌ ‌‌do‌‌ ‌‌índice‌‌ ‌‌é‌‌ ‌‌de‌‌ -1,44%‌‌ ‌‌e‌‌ ‌-1,44%,‌‌ ‌‌respectivamente.‌‌ ‌ ‌

Confira‌ ‌as‌ ‌principais‌ ‌notícias‌ ‌do‌ ‌mercado‌ ‌de‌ ‌FIIs:‌ 

HGRU11 destaca compra de novos imóveis e estratégia com FIIs e CRIs

A Credit Suisse, gestora do CSHG Renda Urbana FII (HGRU11), comunicou nesta quarta-feira (12) aos seus investidores, os resultados referentes ao mês de dezembro de 2021. Também, a gestão aproveitou para descrever suas novas aquisições e investimentos. 

Em relação a dezembro, o fundo teve um resultado de R$ 14,3 milhões, equivalente a R$ 0,76 por cota. A gestora disse que o resultado foi impactado pelos novos alugueis dos imóveis da marca DMA e Atacadão no valor de R$ 1,4 milhões (R$ 0,08 por cota). Confira:

HGRU11 fiis

Desta forma, o dividendo acima será o novo patamar de rendimentos para o HGRU11 no neste semestre, que inclui os efeitos da nova aquisição e das correções de aluguéis ocorridas e previstas. 

Aquisição de lojas do varejo

Conforme fato relevante divulgado em fato relevante, o HGRU11 firmou confirmou a aquisição 9 ativos imobiliários destinados ao varejo, confira abaixo:

  1. Mineirão Foz do Iguaçu
  2. Mineirão Contagem 
  3. Mineirão Uberlândia
  4. Atacadão Cambé 
  5. Mineirão Natal 
  6. Mineirão João Pessoa 
  7. Mineirão Juiz de Fora 
  8. Mineirão Foz do Iguaçu
  9. Atacadão São Carlos 

O fundo se comprometeu a adquirir, na verdade, 11 imóveis (entre eles, os citados acima) pelo preço total de aquisição de R$ 222.874.099,14. Outros dois imóveis - um em Belo Horizonte e outro da Serra-ES - entrarão na negociação.

Deste modo, o fechamento divulgado em dezembro referiu-se à primeira fase da compra, que engloba a aquisição dos 9 imóveis citados acima, que totalizam o valor de R$ 180.403.611,93 pagos da seguinte forma: 

  • Valor de entrada: o valor de R$ 14.540.850,66 pagos em 10 de maio de 2021; 
  • Depósito de Boa Fé: o valor de R$ 72.005.778,11 pagos em 10 dezembro de 2021; 
  • Parcela à Vista: R$ 32.079.923,43 pagos com valor da operação de securitização. 

Com foi a operação de securitização?

A gestora disse que houve a emissão da operação de securitização, de aproximadamente R$ 110.000.000,00, com volume bruto integralizado até o momento de R$ 32.684.287,00 e taxa de integralização de 6,25% ao ano com prazo de 10 anos. 

Além disso, o fundo pagará uma taxa de juros de 6,50% ao ano, atualização monetária pelo IPCA, amortização mensal a partir do 13º mês e juros mensais desde o início.

Da mesma forma, caso o valor da Operação de Securitização seja maior que o pagamento desta parcela, parte do Depósito de Boa Fé deverá ser devolvido ao HGRU11 pelo vendedor. 

Ou seja, para pagar os ativos, o fundo emitiu um CRI, que será pago por meio do fluxo de aluguéis dos seus ativos. Repare abaixo que o fundo segue sem vacância:

HGRU11

Novos investimentos do HGRU11: CRI e FII

Desta forma, a gestora lembrou que o foco do fundo está nas aquisições de imóveis, mas o  time de gestão também adquire ativos mobiliários para utilizar melhor o caixa nos períodos entre as prospecções e aquisições de ativos. 

Por isso, o HGRU11 investiu R$ 97 milhões em aquisições de FIIs e considerando o dividend yield médio desses fundos nos últimos 12 meses, o fundo chegou em uma rentabilidade anual de 7,7%. 

Em relação a CRIs, o Fundo investiu R$ 36 milhões, sendo suas taxas médias de: IPCA + 6,5% e CDI + 4,5%. 

O CSHG Renda Urbana FII é um fundo imobiliário do tipo tijolo com objetivo de explorar empreendimentos imobiliários urbanos de uso institucional e comercial.

KISU11 informa resultados e comenta sobre valor de dividendo em 2022

A gestão do fundo Kilima FIC de FII SUNO30 (KISU11) detalhou em seu Relatório Gerencial divulgado quarta-feira (12), a performance do fundo no mês de dezembro de 2021. A gestora Kilima Gestão de Recursos também comentou sobre seu patamar de dividendos e estratégias do fundo.

Em relação a dezembro de 2021, o fundo estava com 94,6% da carteira alocada em FIIs. A gestora disse que este patamar de dividendo foi mais elevado, de R$ 0,07/cota, tanto ao resultado do último mês quanto outros resultados acumulados ao longo do semestre. Confira:

KISU11

Além disso, a gestão destacou que o dividendo será pago em 14 de janeiro. O rendimento representa um dividend yield de 10,47% a.a. sobre a cota de fechamento do mês.

O cenário macroeconômico segue difícil

Diante disso, a gestora ressaltou que o cenário macroeconômico permanece desafiador. A inflação segue em patamar elevado as incertezas políticas também incomodam. 

Perante essa situação, a gestão acredita que os FIIs de recebíveis (CRIs) devem se manter resilientes, e também tiveram alta importante no mês de dezembro. 

O KISU11 acredita que a presença de FIIs com indexadores atrelados à inflação oferece maior proteção ao patrimônio do fundo. Tanto é que no fechamento de dezembro, o fundo tinha cerca de 34,8% de sua carteira alocados em FIIs desta subclasse. 

A gestora também reforçou que a grande emissão de cotas do KISU11 em julho de 2021 pressiona cada vez menos o seu preço no mercado secundário. 

O patamar dos próximos dividendos

Para os próximos períodos, a gestão afirmou estar confortável com os níveis de dividendos que serão distribuídos, com patamar semelhante ao que será pago em janeiro. 

Desta maneira, o resulto reflete aos ganhos do semestre. E a gestão reforçou, como em outros relatórios, que a estratégia do fundo depende majoritariamente dos rendimentos recebidos dos FIIs investidos e não de ganhos de capital. 

Por fim, a gestora concluiu que no rebalanceamento do Índice Suno 30 não houve mudanças na carteira, o que permite o KISU11 a melhor gerir suas posições e tirar proveito de oportunidades de mercado. Confira abaixo a carteira do fundo:

KISU11 FIIs

O KISU11 é um FII (fundo de fundos) que tem por objetivo seguir a carteira teórica do índice de referência SUNO 30 FII. Fundado em outubro de 2020, sua primeira negociação na bolsa foi em janeiro (15) deste ano.

SDIL11 comenta redução de vacância e aumento dos dividendos

A Rio Bravo e Tellus Properties, gestoras do FII SDI Rio Bravo Renda Logística (SDIL11), detalharam em relatório gerencial divulgado na última quarta-feira (12), os resultados do fundo referente ao mês de dezembro de 2021. Além disso, a gestão comentou sobre a redução de vacância do fundo e aumento dos dividendos.  

Desta maneira, o SDIL11 anunciou a distribuição de R$ 0,76/cota. As gestoras reforçaram que este patamar configura um dividend yield anualizado de 10,01%, considerando o preço de fechamento da cota no último dia útil do mês. Veja abaixo:

SDIL11

Além disso, o valor distribuído se manteve constante no último ano, comprovando que o fundo alcançou uma distribuição uniforme e com crescimentos sustentáveis ao longo do tempo. 

A gestão afirmou que o valor distribuído representou um crescimento de cerca de 19% sobre o resultado do 1º Semestre de 2021 e de aproximadamente 25% quando comparado ao resultado do 2º Semestre de 2020. Confira:

SDIL11

Deste modo, o crescimento do resultado do SDIL11 foi resultado de múltiplos fatores, confira abaixo:

  • Repasse dos reajustes por inflação dos contratos 
  • Manutenção de 100% dos inquilinos no período
  • Aquisição do Centro Logístico Contagem 
  • Redução da vacância no empreendimento Multimodal Duque de Caxias.

Nova locação e pagamento total de imóvel

Em 21 de dezembro de 2021, o SDIL11 assinou contrato de locação com a empresa InfraCommerce, ocupante do módulo 2 do ‘Galpão A’ do MultiModal Duque de Caxias, no Rio de Janeiro. 

Agora, a locatária também ocupará o módulo 1 do ‘Galpão A’, com área locável de cerca de 2.035 m². 

Com a nova locação, a vacância física no empreendimento reduzirá para 18,75% e o Fundo passará a ter apenas 2,59% de vacância física total, considerando a pré-locação no Galpão Guarulhos, ainda em obras. Confira:

SDIL11

Além disso, a gestão confirmou que em dezembro de 2021, o SDIL11 realizou o pagamento da terceira e última parcela referente à aquisição do Galpão Guarulhos, no valor de R$ 2.750.000. 

Caixa e obrigações futuras

Em setembro/2021, o fundo antecipou o pagamento da 2ª parcela do ativo CLC, no montante de R$ 64,7 milhões, com prazo para pagamento até abril/2022, no montante de R$ 130 milhões. 

Por fim, o pagamento da 3ª Parcela está sendo endereçado pela gestão do SDIL11, que segue analisando a estruturação de uma operação de alavancagem, via emissão de CRI, para quitar o último pagamento.

O FII SDI Rio Bravo Renda Logística tem por objeto a realização de investimentos em empreendimentos imobiliários de longo prazo, por meio de aquisição e posterior gestão patrimonial de imóveis de natureza logística e industrial, notadamente galpões logísticos, preferencialmente regiões metropolitanas das principais capitais do país.