O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ quarta-feira‌ ‌(14)‌ ‌em alta de 0,25%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.830,85 pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ ‌julho ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ 2,75%‌ ‌e‌ -1,36%,‌ ‌respectivamente.‌ ‌

 ‌Também,‌ ‌o‌ ‌índice‌ ‌‌SUNO30‌‌ ‌fechou‌ ‌em‌ alta de 0,07% ‌e‌ 103,55 pontos.‌ ‌Veja‌ ‌na‌ ‌tabela‌ ‌abaixo:‌ 

fechamento fiis

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

RBFF11 informa resultados e divulga suas operações no mercado

Em relatório gerencial apresentado aos cotistas nesta quarta-feira (14), a gestão do FII Rio Bravo Fundo de Fundos (RBFF11) comunicou sobre o desempenho do fundo no mês de junho. Também, a gestora Rio Bravo demonstrou como o fundo alocou seus recursos no mês citado.

Referente ao mês anterior, o RBFF11 anunciou uma distribuição de R$ 0,47/cota. De acordo com a gestão, este patamar está “acima da média do mercado, do IFIX e do projetado no estudo de viabilidade da 3ª Emissão de cotas”. Confira abaixo os resultados:

RBFF11

A Rio Bravo também ressaltou que o dividend yield distribuído em junho em relação a cota patrimonial foi 8,1% e em relação à cota de mercado foi de 8,7%. 

Na tabela abaixo, a gestão demonstrou o patamar de distribuição em relação aos resultados dos últimos meses:

RBFF11

Movimentação dos investimentos do fundo

Sobre os investimentos realizados no mês, o RBFF11 participou de oferta restrita apenas para atuais cotistas de CPTS11, onde a gestão conseguiu reduzir o custo médio do fundo dentro da carteira. 

Também, o fundo entrou na oferta pública de CVBI11, além de fazer uma “pequena posição” em VSLH11 por meio da oferta restrita do fundo. 

Da mesma forma, o fundo também fechou posições com desinvestimentos. A gestão mostrou que o RBFF11 vendeu as cotas do VRTA11. Da mesma forma, o fundo vendeu a totalidade da posição de KNSC11. Por fim, o fundo reduziu de forma significativa a posição em HGRU11 com o objetivo de utilizar os recursos para aumentar a exposição no setor de FIIs de CRI. 

O FII Rio Bravo Fundo de Fundos é um fundo imobiliário do tipo papel (Fundo de fundos). Seu objetivo é proporcionar retorno aos seus cotistas por meio de uma carteira diversificada por meio de investimentos em FIIs e em ativos de renda fixa. 

RBRL11 anuncia aluguel de galpão logístico do fundo

A RBR Asset, gestora do RBR Log FII (RBRL11), comunicou nesta última quarta-feira (14), o aluguel de ativo do fundo. 

O RBR Log FII é um fundo imobiliário do tipo tijolo. Seu foco é rentabilizar pela aquisição e exploração comercial de galpões logísticos.

O RBRL11 celebrou instrumento particular de contrato de locação com a Direct Express Logística Integrada S.A., empresa do grupo econômico B2W. Neste caso, a empresa alugou área de 26.719,50m² do Condomínio Logístico RBR Hortolândia II. A receita estimada pelo fundo corresponderá a aproximadamente R$ 0,05/cota. 

A locação ocorreu um mês após a desocupação do imóvel pela antiga locatária (FCA), período a partir do qual o RBRL11 deu início às adaptações para conversão do empreendimento em um condomínio multiusuário. 

Após o aluguel do espaço, a vacância física do imóvel será reduzida para o patamar de 32%, enquanto a vacância física total do fundo para 6%. 

Outro aspecto ressaltado pela gestão é a saída de uma empresa do setor automobilístico, sendo substituída por uma companhia do segmento de e-commerce. Esse tipo de empresa, na visão da Rio Bravo, é destaque nas absorções de empreendimentos logísticos nos últimos trimestres e que, considerando as áreas já ocupadas pelo Mercado Livre (FW5 e WT RBR Log) e por locatários do KSM Extrema. 

VGIR11 informa resultados e detalha movimentação de carteira

A gestão do Valora RE III Fundo de Investimento Imobiliário (VGIR11), detalhou em seu Relatório Gerencial divulgado na última quarta-feira (14), os resultados do mês de junho. Além disso, a Valora Gestão aproveitou para apresentar a movimentação de sua carteira de CRIs

Referente ao mês de junho de 2021, o VGIR11 distribuirá R$ 0,65 por cota como dividendo. O pagamento ocorrerá no dia 20 deste mês. Também, o fundo terminou o mês de junho distribuindo 100% de seu resultado como rendimentos, “mantendo uma reserva de caixa de R$ 0,02, já descontada a taxa de performance, referente ao semestre e será paga este mês.

Observe abaixo os resultados com maiores detalhes:

VGIR11

Movimentação da carteira de investimentos

Em relação aos seus investimentos, o VGIR11 fechou o mês com a totalidade de seu patrimônio líquido alocado em CRI, distribuídos em 40 diferentes operações, num total investido de R$438,6 milhões. Os outros recursos estão investidos em instrumentos de caixa. 

A gestão fez o que chamou de “movimentos de reciclagem da carteira”. Foram vendidos um total de R$47 milhões em CRI (grande parte indexada a IPCA) que geraram ganho de capital, e adquiridos um total de R$64 milhões em novos CRI, em sua maioria, indexados ao CDI.

Com essas operações, a carteira do fundo agora possui 91,4% de CRI indexados ao CDI, enquanto no mês anterior era de 81,2%. Observe no gráfico abaixo: 

VGIR11

Em relação às aquisições, o VGIR11 comprou 4 novos CRI: 

  • R$21,5 milhões do CRI HM Engenharia 365S com remuneração de CDI + 4,75% ao ano;  R$21,5 milhões do CRI HM Engenharia 366S com remuneração de CDI + 4,75% ao ano;  R$9 milhões do CRI MLG Brooklin com remuneração de CDI + 4,75% ao ano; 
  • R$6 milhões do CRI Iperoig com remuneração de CDI + 4,75% ao ano 

Além disso, o fundo também aumentou sua posições em ativos que já possuía, segue abaixo: 

  • R$3 milhões no CRI Tecnisa 175S com cupom de IPCA + 5,94% ao ano 
  • R$1,0 milhão no CRI Altos de Trancoso com cupom de CDI + 6,0% ao ano. 

Por fim, a gestão destacou que todos os CRI encontram-se adimplentes. Da mesma forma, a gestora reforça estar sempre em constante acompanhamento em relação aos ativos e às oportunidades do mercado. 

O Valora RE III Fundo de Investimento Imobiliário (VGIR11) é um fundo do tipo papel, com o foco na compra CRIs.