O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ quinta-feira‌ ‌(21)‌ ‌em queda de -0,49%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.724,94 pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ outubro ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ 0,34%‌ ‌e‌ -5,05%,‌ ‌respectivamente.‌

Também, o ‌‌índice‌‌ ‌‌‌‌SUNO30‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌em‌‌ queda de -0,51%‌ ‌‌e‌‌ ‌98,71 pontos.‌‌ ‌‌Veja‌‌ ‌‌na‌‌ ‌‌tabela‌‌ ‌‌‌abaixo:‌‌ ‌ 

fechamento fiis

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

MXRF11 mostra resultados e divulga reciclagem de portfólio de investimentos

A gestão do Maxi Renda FII (MXRF11), detalhou em seu relatório gerencial divulgado na quinta-feira (21), a performance do fundo no mês de setembro. Desta forma, a gestora XP Asset Management publicou os resultados do FII e afirmou a necessidade de reciclagem de portfólio. 

O fundo anunciou a distribuição de R$ 0,08 por cota, que foi realizada em 15/09/2021. A gestão destacou que a distribuição no mês representa 182,74% do CDI no período, já livre de impostos, o que equivale a um rendimento de 214,99% do CDI se considerarmos um gross up de 15% de impostos.

Confira na tabela abaixo os resultados do fundo: 

MXRF11

Movimento de carteira

A gestão do MXRF11 reforçou que a carteira de CRIs segue com a estratégia de reciclagem de portfólio, com necessidade de vendas para equilibrar o portfólio. A gestão destacou as alienações dos CRIs GPA, Fibra Experts e Vitacon, gerando ganho total de R$ 1,79 milhão. 

Da mesma forma, o fundo fez alocação no CRI FEMSA no valor de R$ 56,00 milhões. 

Já em relação aos investimentos em cotas de FIIs, o MXRF11 alocou um total de R$ 47,12 milhões nos FIIs 

  • Lago da Pedra (LPLP11)
  • Guardian Multiestratégia Imobiliária (GAME11)
  • Succespar Varejo (SPVJ11) 
  • Rooftop (ROOF11)

No tocante às permutas financeiras, o fundo investiu R$ 16,60 milhões, sendo R$ 7,74 milhões referentes a um novo investimento localizado no Brooklin, bairro nobre da zona sul de São Paulo. 

A gestão explicou que o fundo segue sua estratégia de manter um portfólio composto de CRIs com boa qualidade, com foco em originação e estruturação próprias. 

Sobre os resultados que cada estratégia gerou para o fundo, a gestão disse que o total distribuído foi de R$ 19,85 milhões (R$0,08 por cota). 

As operações de permutas financeiras distribuíram no mês R$ 2,88 milhões de dividendos. A carteira de CRI gerou resultado caixa de R$ 17,79 milhões, enquanto o book de FII gerou resultado de R$ 330 mil. 

Abaixo, confira o perfil dos ativos do fundo:

MXRF11

O Maxi Renda FII é um fundo de papel com objetivo de rentabilizar por meio da aplicação de seus recursos em ativos financeiros com lastro imobiliário, tais como CRI, Debênture, LCI, LH e cotas de FIIs.

RBRF11 informa resultados e explica suas operações

A gestora RBR Gestão de Recursos do fundo RBR Alpha Multiestratégia Real Estate (RBRF11), anunciou aos cotistas nesta quinta-feira (20), através de relatório gerencial, os resultados do mês de julho. Também, o fundo divulgou seus investimentos.

Para setembro, o fundo anunciou a distribuição de rendimentos de R$0,60/cota. Este valor corresponde a um dividend yield anualizado de 10,0% a.a. Veja abaixo:

RBRF11

O dividendo do mês segue em linha com o guidance divulgado para o semestre, de R$0,60/cota, mantendo o rendimento mensal distribuído no primeiro semestre, numa banda entre R$0,55/cota e R$0,75/cota. 

Além disso, o fundo terminou o mês com uma reserva de resultados de R$0,29/cota. 

Em relação aos investimentos, a gestora disse que o fundo mantém sua estratégia de investir maior parte do seu portfólio em CRIs e FIIs de recebíveis, conforme pode ser visto abaixo:

RBRF11

Além de investir em diversas cotas por meio de ofertas, o RBRF11 também fez uma série de alocações em CRIs, conforme pode ser visto abaixo:

RBRF11

O RBR Alpha Multiestratégia Real Estate é um fundo imobiliário do tipo papel, com objetivo de auferir rendimentos e ganhos de capital na aquisição de FIIs, Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) e outros ativos líquidos ligados ao mercado imobiliário.

TORD11 informa resultados e investimentos do mês

O Tordesilhas EI FII (TORD11) divulgou relatório gerencial referente a setembro de 2021, para comunicar aos cotistas os resultados do fundo. Também, o fundo divulgou, por meio de sua gestora Hectare Capital, os investimentos do mês e a movimentação de sua carteira de investimentos.

A gestão informou que o fundo distribuiu R$ 0,20 por cota de dividendos referente ao resultado do mês de setembro:

TORD11

Neste caso, o dividend yield equivale a 1,52% sobre a cota patrimonial, encerrada a R$ 13,16 em 30/09/21. O número de cotistas também aumentou de 80.505 para 83.404. 

Movimentação da carteira do fundo

O TORD11 encerrou setembro com 1,1% em caixa, 24,0% de seu patrimônio em CRIs, 26,5% em equities e 48,4% em fundos imobiliários.

Em setembro, o fundo realizou as seguintes operações de compra:

  • Fundo Ankara Distressed; 
  • Fundo Lote M2; 
  • Fundo Serra Verde; 
  • Equities em carteira; 

Além dos aportes no ativos acima, o fundo recebeu um pré-pagamento do CRI Ferrasa Sr. / Sub., recebendo uma multa de 2% sobre o saldo devedor da operação. 

A gestora explicou que do total alocado em CRIs, 79,60% estão indexados ao IPCA, 20,40% ao IGP-M.  A taxa ponderada média sobre o saldo devedor é de 12,61% a.a. mais o índice de inflação. 

Desta forma, a gestão destacou que a carteira atual segue dentro da estratégia de investir a maior parcela da carteira em projetos de desenvolvimento, com uma pequena parte em CRIs. 

Além das aquisições, o fundo também realizou vendas de ativos, como do Makaira Beach Resort que teve aumento superior a 70% com relação a agosto, reiterando a perspectiva positiva para o empreendimento e para o lançamento de novos blocos em 2022. 

As obras do Bloco E do Resort do Lago progrediram acima do previsto no mês de setembro, o que pode contribuir para impulsionar as vendas da carteira. 

No empreendimento citado, as vendas líquidas ficaram mais de 10% acima do orçado no mês. 

Confira abaixo o perfil das alocações do fundo:

TORD11

Resultados positivos da maior parte dos CRIs

A maior parte dos CRIs apresentou resultados positivos e em linha com o esperado para o período. A queda das vendas líquidas de alguns empreendimentos permaneceu dentro da margem estabelecida para agosto. 

A gestão do TORD11 afirma estar em monitoramento constante dos ativos, além de manter contato direto com todos os agentes envolvidos nas operações. 

Por fim, visando preservar os interesses dos cotistas, a posição investida em FIIs geridos pela Hectare, foi desconsiderada para fins de cálculo da taxa de gestão.

O objetivo do Tordesilhas EI FII é proporcionar aos cotistas a valorização e a rentabilidade de suas cotas no longo prazo, por meio de investimentos em ativos imobiliários - crédito privado, cotas de FIIs, ativos de renda fixa - auferindo rendimentos e ganhos de capital.