O‌‌‌ ‌‌‌‌‌‌IFIX‌‌‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌última‌‌‌ quarta-feira‌‌‌ ‌‌‌(27)‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ queda ‌‌de 0,02%,‌‌‌ ‌‌terminando‌‌ ‌‌‌o‌‌‌ ‌‌‌dia‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ ‌‌2.801‌ pontos.‌‌‌ ‌‌‌No‌‌‌ ‌‌‌acumulado‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌mês‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ abril ‌‌‌e‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌ano‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ ‌‌‌2022,‌‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌variação‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌índice‌‌‌ ‌‌‌é‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ ‌‌0,76%‌‌‌ ‌‌‌e‌‌‌ -0,12%‌‌,‌‌‌ ‌‌‌respectivamente.‌‌‌ ‌Em resumo, TORD11 comentou sobre monitoramento de risco de sua carteira e HGRU11 informou a venda de loja que rendeu ganho de capital ao fundo.

Confira‌‌ ‌‌as‌‌ ‌‌principais‌‌ ‌‌notícias‌‌ ‌‌do‌‌ ‌‌mercado‌‌ ‌‌de‌‌ ‌‌FIIs:‌‌

TORD11 reduz dividendos e comenta sobre risco de sua carteira

O Tordesilhas EI FII (TORD11) divulgou relatório gerencial referente a março, para comunicar aos cotistas os seus resultados. Também, o fundo divulgou, por meio de sua gestora R Capital Asset a movimentação de sua carteira de investimentos e sobre monitoramento de risco de portfólio. 

Os dividendos do TORD11 referentes ao mês de março foram de R$ 0,06/cota de, representando um dividend yield de 0,44% sobre a cota patrimonial, fechada a R$ 13,50. A gestora garantiu que todos ativos pagaram as obrigações conforme previsto. 

Porém, houve queda nos rendimentos do TORD11, que foram pagos em abril. Desde outubro de 2021 o fundo vem pagando R$0,08 por cota, mas este mês o dividendo foi menor. Confira abaixo:

TORD11 fiis

Neste aspecto, o fundo fez uma série de investimentos e vendas em março, que contribuíram com seus resultados, entre eles:

  • venda de 273 cotas do SRVD11 na B3 ao preço médio de R$9,64; 
  • venda parcial do CRI GPK Sub. em seu preço de curva; 
  • aporte em equities. 

Monitoramento de ativos em risco

A equipe de gestão se empenhou no monitoramento mais detalhado no CRI EDA. De acordo com a classificação do Rating, esse ativo está com problemas que requer a implantação de plano de ação estruturado.  

A gestora explicou que a lenta evolução em vendas líquidas e contratos ativos no mês a mês é resultado de imóveis com valor de venda mais alto e dificultam a aderência de classes com menor poder aquisitivo de manterem seus pagamentos adimplentes. Assim, a comercializadora redesenhou os produtos de forma a adequá-los a demanda por produtos mais acessíveis. 

Mesmo assim, a gestora disse que em relação aos equities, a performance dos ativos foi positiva. Porém, não houve crescimento expressivo devido à sazonalidade do período. 

O objetivo do Tordesilhas EI FII é proporcionar aos cotistas a valorização e a rentabilidade de suas cotas no longo prazo, por meio de investimentos em ativos imobiliários - crédito privado, cotas de FIIs, ativos de renda fixa - auferindo rendimentos e ganhos de capital.

HGRU11 vende imóvel e tem lucro milionário; saiba mais

A Credit Suisse, gestora do CSHG Renda Urbana FII (HGRU11), comunicou nesta quarta-feira (27) aos seus investidores, a venda de ativo com ganho de capital. 

O fundo concluiu a venda de uma loja existente no portfólio do HGRU11, localizada na cidade de Lorena, estado de São Paulo, locada para a Casas Pernambucanas. 

O HGRU11 recebeu o valor de R$ 5.600.000,00, equivalente a R$ 4.404,49/m². O Imóvel foi adquirido em 6 de novembro de 2020, e, até a presente data, o investimento total, considerando custos de aquisição, custos de transação e benfeitorias, foi de R$ 4.083.249,65, equivalente a R$ 3.211,54/m². 

Ganho de capital para o HGRU11

Com isso, a operação gerou um lucro em regime de caixa de R$ 1.516.750,35, equivalente a aproximadamente R$ 0,08/cota. O preço de venda do Imóvel é 37% superior ao valor investido, 38% (trinta e oito por cento) superior ao valor de laudo do Imóvel em 2021. 

A partir dessa data, o comprador fará jus ao aluguel mensal de R$ 28.332,87 equivalente a aproximadamente R$ 0,002 (dois décimos de centavo) por cota. 

O CSHG Renda Urbana FII é um fundo imobiliário do tipo tijolo com objetivo de explorar empreendimentos imobiliários urbanos de uso institucional e comercial.