BROF11 lidera altas no penúltimo dia do mês; IFIX tem queda leve

BROF11 fechou com mais de 2% de valorização no dia; amanhã mercado deve aquecer com anúncio de dividendos.

BROF11 lidera altas no penúltimo dia do mês; IFIX tem queda leve
BROF11 liderou altas no IFIX - Freepik

O FII BR PR Corporate Offices (BROF11) liderou as altas do dia no pregão desta terça-feira (30) entre os fundos imobiliários que fazem parte do IFIX, o índice de negociação que reúne os principais FIIs listados na B3.

O BROF11 fechou o pregão cotado a R$ 57,27, alta de 2,36% em relação ao fechamento de segunda-feira. Ao contrário de boa parte dos fundos imobiliários, o fundo não anuncia sua distribuição de dividendos amanhã, no último dia útil do mês – o último anúncio do FII BROF11, de R$ 0,57 por cota, foi no dia 17, para pagamento em 24 de janeiro.

O IFIX, que reúne pouco mais de 100 fundos imobiliários negociados na B3, fechou em queda pelo segundo dia consecutivo, de 0,05%, a 3.327,55 pontos. Durante o dia, o índice oscilou entre a mínima de 3.325,31 pontos e a máxima de 3.331,73 pontos. A tendência é que o mercado seja mais aquecido nesta quarta-feira (31), quando boa parte dos fundos anunciam seus proventos que serão pagos em fevereiro.

FIIs no dia: altas e baixas

Também ficaram entre os principais altas os fundos RBR Plus Multiestratégia Real Estate (RBRX11), com alta de 1,52%, cotado a R$ 9,35, e o Bradesco Carteira Imobiliária Ativa (BCIA11), com 1,10% de valorização, negociado a R$ 107,98,

Entre os destaques negativos, o Vinci Offices (VINO11) liderou as quedas nesta terça-feira, caindo 2,94%, cotado a R$ 7,58. O REC Renda Imobiliária (RECT11) caiu 2,77%, fechando a R$ 42,80, enquanto o BTG Pactual Terras Agrícolas (BTRA11) seguiu em desvalorização, com queda de 2,60%, a R$ 48,75.

O FII Maxi Renda (MXRF11) foi o mais negociado do dia, com pouco mais de R$ 1 milhão em negociações. O Capitânia Securities II (CPTS11) veio em seguida, com volume de R$ 815,2 mil.

IFIX: como é formado o índice dos fundos imobiliários

A composição do valor é feita a partir do resultado da negociação de 108 fundos imobiliários que formam a carteira teórica do IFIX, modificada a cada quatro meses pela B3. A atual formação vale desde o dia 2 de janeiro e vai até o fim de abril. No primeiro dia de abril. a Bolsa divulga a primeira prévia da carteira que será adotada a partir de maio, para facilitar a movimentação de investidores.

Tags
foto: Fernando Cesarotti
Fernando Cesarotti
Editor

Jornalista.

últimas notícias