O Fundo de Investimento Imobiliário Capitânia Securities II (CPTS11), administrado pelo BTG Pactual Serv. Fin. S/A DTVM, divulgou nesta sexta-feira (19) o seu relatório gerencial do mês de abril, no qual descreveu seus resultados e rendimentos mensais.

O Capitânia Securities II (CPTS11), conforme consta no relatório, é um FII constituído sob a forma de condomínio fechado cujo objetivo é proporcionar rentabilidade aos seus cotistas por meio da aquisição preponderantemente de ativos de origem imobiliária.

O CPTS11 deu ênfase aos desembolsos dos anos recentes, que segundo o Capitânia Securities II foi o “período em que o fundo já tinha uma política de investimento com foco em papéis high grade”. Foram os anos em que o fundo mais gerou valor em comparação aos benchmarks, com mais recorrência e volume. 

O fundo CPTS11 teve um avanço de patrimônio no valor de R$ 300 milhões ao final de 2019 para R$ 1,7 bilhão e ainda melhorou o resultado nominal distribuído aos cotistas, com uma “carteira de crédito mais saudável num momento em que o CDI e o IMAB menos performaram”, disse o fundo.

Portfólio do Capitânia Securities II 

O gestor destaca que o CPTS11 a estratégia de investimento em CRIs teve início no período de agosto de 2014, conforme o início do fundo. O fundo investiu cerca de R$ 2 bilhões em CRI desde seu início. Deste total, cerca de R$ 231 milhões foram recebidos como amortização e juros, além de R$ 926 milhões como vendas no mercado secundário. 

Do percentual do patrimônio líquido do Capitânia Securities II, as 5 maiores posições de alocação do fundo são:

  1. FII - 37,6%;
  2. Comercial - 17,4%;
  3. Logístico/Industrial - 16,6%;
  4. Shopping - 15,5%;
  5. Liquidez - 4,4%.

Importante dizer também que o Capitânia Securities II possui 37,6% do patrimônio líquido dividido em 42 FIIs. O percentual de FIIs de CRI da carteira de FIIs é de 20,5%. Na exposição do CPTS11 por devedor/risco principal, as 5 maiores posições são:

  1. FII - 37,6%;
  2. BRF - 6,5%;
  3. Helbor - 6,3%;
  4. BR Malls 4,4%;
  5. Even - 4,2%.
CPTS11 divulga resultados em relatório gerencial de abril

Resultados e rendimentos do CPTS11

No dia 12 de maio de 2021, o CPTS11 anunciou  a distribuição de R$1,05 por cota, com pagamento no dia 19 de maio de 2021 para os detentores de cotas do fundo no dia 12 de maio de 2021. Este dividendo distribuído aos cotistas corresponde a 582,8% do CDI em relação à cota de mercado e já descontando o Imposto de Renda.

Desde seu início, na data do dia 5 de agosto de 2014, o Capitânia Securities II tem um retorno anualizado de 12,3%, considerando 3 fatores:

  • O investimento inicial na cota de emissão a R$ 100,00;
  • Os R$ 74,67 distribuídos no período reinvestidos no fundo;
  • Venda da cota no preço de mercado no dia 30 de abril de 2021 a R$ 102,00.

O gestor do CPTS11, Capitânia Investimentos, comentou que em abril o IFIX subiu 0,51%, enquanto a rentabilidade a mercado ajustada por proventos do Capitânia Securities II é de 1,49% no período.

No gráfico a seguir, o gestor do CPTS11 traz um comparativo de rentabilidade do IFIX, CDI e do Capitânia Securities II, através dos retornos acumulados desde o ano de 2014.

CPTS11 divulga resultados em relatório gerencial de abril

 

Desde o seu início, a cota a mercado ajustada do fundo rendeu +125,07% versus +104,72% do IFIX e 72,94% do CDI. O patrimônio líquido do CPTS11 é de R$ 1,749 bilhão, enquanto o valor de mercado é de R$ 1,875 bilhão. A receita do fundo em abril totalizou R$ 21,27 milhões e o resultado nesse período foi de quase R$ 19,20 milhões, equivalente a R$ 1,04 por cota.