RBRR11 paga dividendos de IPCA+ 9,40% e tem maior lucro em 3 meses

O fundo imobiliário RBRR11 pagou dividendos com um retorno de IPCA+ 9,40% e registrou seu maior resultado em 3 meses. Veja qual FII e os valores.

RBRR11 paga dividendos de IPCA+ 9,40% e tem maior lucro em 3 meses
Dividendos do HGBS11: quanto o fundo vai pagar no 1º semestre de 2024? Foto: iStock

O fundo imobiliário RBRR11 divulgou novos resultados para o mês de outubro, em que reportou um lucro mensal de quase R$ 10,333 milhões.

Esse novo resultado do FII RBRR11 registra o maior valor em 3 meses e foi obtido a partir de um faturamento de R$ 10,294 milhões. Já as despesas do fundo somaram R$ 1,122 milhão.

Os dividendos do RBRR11 referente ao mês foram de R$ 0,65 por cota, o que representa um dividend yield anualizado de 9,30% ao ano, ou uma rentabilidade ajustada de IPCA+ 9,40% ao ano.

A gestão destaca que assim como outros FIIs do mercado que tenham uma carteira principalmente indexada à inflação, o resultado mensal do RBRR11 está relacionado de forma direta aos índices inflacionários.

Os índices IGP-M e IPCA de agosto continuaram sua tendência de queda dos meses anteriores, afetando de forma negativa o resultado do fundo RBRR11 em outubro.

Carteira do RBRR11

No encerramento de outubro, o fundo tinha 43 operações em sua carteira, com todas elas estando em dia com suas obrigações financeiras.

“Os CRIs investidos contam com sólidas garantias imobiliárias (alienação fiduciária dos imóveis) e LTV (loan-to-value) médio próximo a 60%. Vale destacar que 53% de todas as garantias do portfólio do fundo estão localizadas em regiões Prime da cidade de São Paulo”, explicou a gestão.

Em relação ao portfólio de CRIs, o fundo imobiliário RBRR11 apresentou movimentações de venda para ajustar suas posições no valor de R$ 50 milhões.

No caso da carteira do CCRF11, que foi vendida para o RBRR11, ela tinha indexação de 100% IPCA+, assim como uma taxa média de compra de IPCA+ 7,28% ao ano. Antes disso, a taxa média de aquisição do RBRR11 era de 6,8% ao ano. Apesar do aumento da taxa de retorno, o perfil de risco é parecido com o portfólio atual do RBRR11.

Vale destacar que 76% do portfólio do CCRF11 que foi vendido era formado por CRIs investidos pelo próprio RBRR11.

Tags
foto do autor: João Vitor Jacintho
João Vitor Jacintho

Redator profissional, com atuação no mercado editorial na produção de notícias e conteúdos sobre o mercado de ações, criptomoedas, fundos imobiliários e economia popular. Graduando em Engenharia Química pela Unesp, também já trabalhei como consultor financeiro.

últimas notícias