XPLG11: lucro dispara 81,5% e dividendo é o 2º maior da história; Veja valores

O resultado do XPLG11 registrou um aumento de 81,5% em novembro e pagou o segundo maior valor da história. Confira os valores.

XPLG11: lucro dispara 81,5% e dividendo é o 2º maior da história; Veja valores
BRCO11 mantém vacância zerada e distribui o maior dividendo de sua história. Foto: Pixabay

O fundo imobiliário XPLG11 divulgou seu novo relatório gerencial, reportando um resultado de R$ 36,5 milhões em novembro, o que representa um aumento de 81,5% na comparação com o mês anterior, quando o FII anunciou lucro de R$ 20,108 milhões.

O resultado do FII XPLG11 foi obtido a partir de um faturamento de R$ 42,145 milhões, enquanto as despesas foram de R$ 5,641 milhões. Do resultado do mês, cerca de R$ 23,099 milhões foram pagos em rendimentos aos investidores.

Os dividendos do XPLG11 por cota foram de R$ 0,78 por cota, o que representou um dividend yield anualizado de 8,7% sobre o valor de mercado da cota no fechamento do mês, que era de R$ 107,53. Esse valor se repete pelo 5º mês seguido e representa o 2º maior valor da história do FII.

Movimentações da carteira do XPLG11

Ao final de novembro, o FII anunciou que foram superadas as condições precedentes para o início da vigência da nova locação com o Atacadão no CD de Ribeirão Preto/SP, com substituição da locação do Dia%, cuja Área Bruta Locável (ABL) do imóvel é de 21.136 m². O prazo de vigência do acordo é de 40 anos.

A partir desse novo contrato de locação, o fundo imobiliário XPLG11 elevou a diversificação dos perfis de seus inquilinos.

O fundo também concluiu uma recompra facultativa no valor total de R$ 60,16 milhões, referente a 1ª série do CRI 68, cuja remuneração é de IPCA + 7,15% ao ano. O investimento foi realizado com os recursos da sua 6ª emissão de cotas.

Essa recompra trouxe um impacto negativo não recorrente de aproximadamente R$ 2,3 milhões no lucro mensal do fundo XPLG11, por conta do pagamento de despesas financeiras acumuladas de atualização monetária.

“Como resultado, a representatividade das obrigações vinculadas às operações de CRIs em relação ao valor de mercado do portfólio reduziu de 8,7% para 7,0%, sendo que o Fundo fechou o mês de novembro com saldo de caixa superior à totalidade das obrigações, demonstrando uma estrutura de capital saudável e robusta”, explica a gestão do XPLG11.

Tags
foto do autor: João Vitor Jacintho
João Vitor Jacintho

Redator profissional, com atuação no mercado editorial na produção de notícias e conteúdos sobre o mercado de ações, criptomoedas, fundos imobiliários e economia popular. Graduando em Engenharia Química pela Unesp, também já trabalhei como consultor financeiro.

últimas notícias