O Fundo de Investimento Imobiliário Hedge Top FOFII 3 (HFOF11), administrado pela Hedge Investments DTVM Ltda., divulgou nesta terça-feira (13) o seu relatório gerencial do mês de abril, no qual descreveu seus resultados e rendimentos mensais.

O Hedge Top FOFII 3 (HFOF11), iniciou suas atividades em fevereiro de 2018 e tem o objetivo de alcançar a valorização e rentabilidade de suas cotas no longo prazo através do investimento principalmente em cotas de outros Fundos de Investimento Imobiliário, com foco tanto dos rendimentos quanto dos ganhos de capital no processo de desinvestimento.

O gestor do Hedge Top FOFII 3 considerou abril como um mês bastante singular. Segundo o fundo “Embora durante o mês tenhamos tido a volatilidade habitual, ao final as definições foram acontecendo e a leitura desse quadro de encerramento do mês, tanto sob o aspecto político quanto econômico, mostra sinais que nos deixam mais positivos”.

Dentre os fatos que fazem o HFOF11 ter essa visão mais positiva do mercado, um deles é a aprovação do Orçamento. Além disso, destacou-se que “Voltando às reformas, quando se esperava que o Congresso fosse se debruçar sobre a Reforma Administrativa, ele surpreendeu novamente e iniciou a discussão sobre a Reforma Tributária”.

No campo econômico, o destaque colocado pelo Hedge Top FOFII 3 foi a valorização do real em 3,49%, na sua melhor performance desde novembro de 2020. Apesar disso, no resultado acumulado de 2021, ainda há uma desvalorização de 4,59% em relação ao dólar.

Conforme dados do boletim mensal da B3, o HFOF11 afirmou que os fundos imobiliários superaram a marca de 1,30 milhão de investidores em março de 2021, um aumento de 60% nos últimos 12 meses, sendo cerca de 43 mil novos investidores na média de cada mês.

Portfólio do Hedge Top FOFII 3

Durante o mês de abril, o HFOF11 negociou o volume de R$ 69 milhões em cotas de fundos imobiliários, sendo R$ 33 milhões em aquisições e R$ 36 milhões em vendas, finalizando o mês com cerca de 2% do patrimônio líquido em caixa.

Por classe de ativo, 98% dos recursos do Hedge Top FOFII 3 foram alocados em fundos imobiliários, enquanto 2% estão em renda fixa. Por segmento, o portfólio do fundo se distribui da seguinte forma:

  • Corporativos - 32%;
  • Logístico-industrial - 23%;
  • Mobiliários - 16%;
  • Shoppings - 13%;
  • Agências - 10%;
  • Varejo - 5%;
  • Residencial - 1%.

Na distribuição por estratégia, o portfólio do HFOF11 é:

  • Renda - 64%;
  • Renda e ganho - 27%;
  • Ganho de capital - 9%.

Resultados e rendimentos do HFOF11

O HFOF11 entregou um rendimento médio de R$ 0,73 por cota por mês ao longo dos seus 38 meses de vida. A 1ª emissão do fundo entregou um retorno de 30,8%, que corresponde a 8,9% ao ano. Considerando todas as emissões do mercado, o retorno foi de 39,3% ou 11,1% ao ano.

No mesmo período, o desempenho do IFIX foi de 24,6% de retorno, enquanto o CDI foi de 15,5%. Importante destacar o crescimento do HFOF11, que se tornou um produto de destaque, iniciando o 1º semestre de 2021 como maior FOFII da indústria, com valor de mercado superior a R$ 2,1 bilhões. 

Isso permite que o Hedge Top FOFII 3 reduza seus custos fixos, tenha uma liquidez relevante, possua uma carteira diversificada e poder acessar operações exclusivas. O fundo distribuirá R$ 0,60 por cota como rendimento referente ao mês de abril de 2021. O pagamento será realizado em 14 de maio de 2021, aos detentores de cotas em 30 de abril.

O total de receitas do HFOF11 em abril foi de R$ 12,22 milhões, enquanto as despesas são de quase R$ 1,28 milhão. O resultado médio por cota é de R$ 0,51 e o volume de rendimentos totalizaram R$ 12,93 milhões.