Itaú BBA muda recomendação de fundos imobiliários e inclui XPML11; veja mais

O Itaú BBA retirou um fundo imobiliário de sua lista de recomendações, substituindo pelo XPML11. Confira os motivos dessa troca.

Itaú BBA muda recomendação de fundos imobiliários e inclui XPML11; veja mais
Itaú BBA retira fundo imobiliário das recomendações e inclui XPML11. Foto: Pixabay

O Itaú BBA divulgou sua nova carteira recomendada de fundos imobiliários para o mês de janeiro, com a entrada do fundo XP Malls (XPML11). A performance da carteira em dezembro foi positiva em 4,0%, enquanto do IFIX foi de 4,2% no mesmo período.

Apesar de ficar um pouco abaixo do IFIX em dezembro, a carteira de fundos imobiliários do Itaú BBA teve um retorno de 21% no acumulado de 2023, enquanto o IFIX avançou 15,5% nesse período.

Em relação ao mês dezembro, uma das alterações para janeiro foi a retirada do FII VILG11, que tinha um peso de 7,5% na carteira, e a adição do XPML11 com o mesmo percentual.

A lista de fundos imobiliários recomendados para janeiro ficou da seguinte forma:

TickerNome do FIISetorPeso na carteiraDY anualizado
HGRU11CSHG Renda UrbanaMisto7,50%7,30%
HSML11HSI MallsShopping Center7,50%9,20%
XPML11XP MallsShopping Center7,50%9,20%
BRCO11Bresco LogísticaLogístico7,50%9,20%
LVBI11VBI LogLogístico7,50%9,20%
KNRI11Kinea Renda ImobiliáriaHíbrido7,50%7,30%
PVBI11VBI Prime PropertiesLajes corporativas7,50%8,10%
RBRP11RBR PropertiesMisto7,50%6,10%
KNIP11Kinea Índice de PreçosAtivos financeiros10,00%8,80%
HGCR11CSHG Recebíveis ImobiliáriosAtivos financeiros10,00%11,40%
KNHY11Kinea High YieldAtivos financeiros10,00%12,20%
KNCR11Kinea Rendimentos ImobiliáriosAtivos financeiros10,00%11,60%

O que explica a mudança na carteira de fundos imobiliários?

Os analistas do Itaú BBA destacam que o momento do VILG11 “não é dos mais animadores”, conforme já colocado em outros relatórios.

“As performances mensais recentes foram ruins e são justificadas pela vacância atual, que está acima dos patamares históricos do VILG11, e pela queda recente dos proventos, que também é fruto da vacância”, diz o relatório assinado pelos CNPIs Larissa Gatti Nappo e Marcelo Potenza.

A partir desse cenário, o fundo imobiliário XPML11 foi adicionado na carteira no lugar do VILG11. Apesar do desconto patrimonial de 11%, o VILG11 tem um dividend yield (DY) inferior ao DY do XPML11, que se encontra próximo de seu valor patrimonial.

Colocadas essas ressalvas, o VILG11 permanece sendo recomendado para compra no relatório do Itaú BBA de galpões logísticos, visto que sua carteira permanece tendo “qualidade e boas localizações”, assim como “um potencial de valorização para o longo prazo”.

A inserção do FII XPML11 visa diminuir o risco de vacância da carteira e elevar o yield ponderado do portfólio. Além disso, o Itaú BBA destaca que o fundo tem um dos “melhores portfólios de shopping centers do mercado”.

A perspectiva da casa em relação ao mercado imobiliário ainda é otimista no médio e longo prazo. “Mesmo considerando o atual patamar da taxa de juros, avaliamos que os fundos imobiliários continuarão com uma boa relação de risco-retorno em comparação a outras classes de ativos”, explica o Itaú BBA.

foto: João Vitor Jacintho
João Vitor Jacintho

Redator profissional, com atuação no mercado editorial na produção de notícias e conteúdos sobre o mercado de ações, criptomoedas, fundos imobiliários e economia popular. Graduando em Engenharia Química pela Unesp, também já trabalhei como consultor financeiro.

últimas notícias