O Fundo de Investimento Imobiliário Rio Bravo Renda Corporativa (RCRB11), administrado pela Rio Bravo Investimentos DTVM Ltda., divulgou nesta quinta-feira (27) o seu relatório gerencial do mês de abril, no qual descreveu seus resultados e rendimentos mensais.

O RCRB11 tem exposição de cerca de 82,5% de sua Área Bruta Locável (ABL) ao eixo Paulista/Faria Lima/Vila Olímpia/Berrini. Além disso, é importante destacar que esses locais são regiões que, segundo o fundo, são “consolidadas no mercado corporativo de São Paulo e apresentam baixos índices de vacância, o que possibilita maior poder de barganha ao fundo e mais resiliência em períodos de crise”.

A taxa de vacância dos imóveis que compõem o patrimônio do RCRB11 no mês de abril passou a ser de 14,0%. Essa taxa está abaixo da média de mercado, conforme aponta dados da Buildings.

Portfólio do Rio Bravo Renda Corporativa

O RCRB11 possui participações diretas e indiretas em ativos-objeto da política de investimento do fundo. Esse ativos-objeto se tratam dos imóveis corporativos. A composição do ativo do fundo é detalhada da seguinte forma:

O patrimônio do Rio Bravo Renda Corporativa tem 10 ativos, que se localizam nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. Levanto em conta a última aquisição do fundo, do total de 41.647 m² que ele possui, cerca 93,3% está em São Paulo e 6,7% no Rio de Janeiro.

Vale ressaltar que o Edifício mais relevante é que apresenta 18,5% da Área Bruta Locável do Rio Bravo Renda Corporativa. Além disso, o inquilino com maior peso é de 15,8%. É possível observar melhor a diversificação por região e por ativo, através do gráfico a seguir:

Resultados e rendimentos do RCRB11

Em abril, o RCRB11 teve um resultado de R$ 0,41 por cota. Além disso, o fundo teve uma distribuição de R$ 0,80 por cota. Segundo o fundo, a gestão “analisa a projeção do fluxo de caixa do semestre em sua integralidade, considerando potenciais alienações e composição de resultados extraordinários”.

A receita imobiliária do Rio Bravo Renda Corporativa no mês de abril foi de mais de R$ 860 mil. Os rendimentos de Fundos Imobiliários foi de cerca de R$ 945 mil. Já o resultado não operacional foi de R$ 224 mil. As despesas do fundo no período foi de R$ 776 mil. Com isso, o resultado do mês foi de R$ 1,5 milhão.

O número de cotistas do RCRB11 passou de 20.778 em abril de 2020 para 29.216 em abril de 2021. Esse crescimento representa um avanço de 40,6% de um ano a outro. A distribuição de rendimentos no período foi de R$ 0,80 por cota.

O número de cotas do RCRB11 é de 3.690.695, enquanto o valor de mercado alcançou os R$ 580,7 milhões. Enquanto o volume médio diário negociado foi de R$ 863,9 mil. O Yield anualizado chegou em 6,1%.