O Fundo de Investimento Imobiliário VBI Reits FOF (RVBI11), administrado pela BRL Trust DTVM S.A., divulgou nesta quinta-feira (19) o seu relatório gerencial do mês de julho, em que descreveu seu resultado e rendimento mensal.

Com início em fevereiro de 2020, o RVBI11 tem como objetivo aplicar, de forma primordial, em cotas de outros fundos de investimento imobiliário e de forma complementar, em:

  • Ações ou cotas de sociedades;

  • Cotas de fundos de investimento em participações ou de fundos de investimento em ações;

  • Letras hipotecárias;

  • Cotas de fundos de investimento em direitos creditórios;

  • Letras de crédito imobiliário;

  • Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI);

  • Letras imobiliárias garantidas.

As aplicações nesses ativos de forma complementar se dá desde que todos estes fundos e veículos de investimento possuam o intuito de atividades permitidas aos fundos imobiliários. A taxa de administração do RVBI11 é de 1,00% ao ano sobre o patrimônio líquido do VBI Reits FOF, sendo 0,80% repassado ao Gestor.

Mesmo com o avanço de 2,5% do IFIX, o fundo dividiu o mês de julho em duas partes. Na

primeira metade do mês, ocorreu uma alta dos FIIs de forma geral depois do anúncio do relator da reforma tributária, que é o Deputado Celso Sabino, do PSDB-PA, em que os fundos imobiliários continuariam isentos, assim como acontece até o momento.

Portfólio do VBI Reits FOF

Entre as principais alterações do portfólio do RVBI11, estão:

  • Mauá HY (MCHY): Subscrição em oferta 476 de um fundo de CRI gerido pela Mauá

  • Capital;

  • Kinea Índ. de Preços (KNIP): A posição no FII foi dobrada, subscrevendo a oferta encerrada em julho;

  • Autonomy Ed. Corp. (AIEC): Aumento em 46% da exposição do fundo ao FII.

Ocorreu um alto giro para o portfólio do RVBI11 no mês de julho. Nesse sentido, o fundo aproveitou a recuperação rápida que ocorreu no mercado nos primeiros 15 dias, zerando assim algumas posições que segundo o fundo estão bem precificadas.

Foram 8 FIIs em que o VBI Reits FOF zerou sua posição, que foram: CPTS11, HGRU11, HSLG11, IRDM11, KNSC11, PLCR11, TRXF11 e VTLT11. O RVBI11 carregou essas posições em sua carteira durante alguns meses que eles acreditam que está próximo do seu preço justo.

No final de julho, o total do patrimônio líquido do RVBI11 alocado em ativos imobiliários era de 91,8%. Na distribuição setorial, essa alocação ocorre da seguinte forma:

  • Recebíveis imobiliários - 29%;

  • Lajes comerciais - 19%;

  • CRI - 14%;

  • Shoppings - 9%;

  • Caixa e equivalentes - 8%;

  • Renda urbana - 7%;

  • Logísticos - 6%;

  • Outros - 5%;

  • Incorporação - 3%;

  • Loteamento - 0%.

RVBI11 divulga resultado e dividendo do mês de julho de 2021

Cerca de 74% dos ativos do RVBI11 foi em FIIs líquidos, os CRIs representam 13%, caixa e equivalentes correspondem a 10%. Do mesmo modo, 3% dos ativos do VBI Reits FOF são FIIs Private Placement.

Resultados e rendimentos do RVBI11

O patrimônio líquido do RVBI11 alcançou a marca dos R$ 132,5 milhões, que em meio a 1.440.000 cotas emitidas, se tem R$ 92,01 em valor patrimonial da cota. Já o valor de mercado do fundo é de R$ 131,0 milhões, o equivalente a R$ 91,00 por cota. O volume médio diário negociado no mês foi de R$ 400 mil.

O dividendo por cota foi de R$ 0,75 com um dividend yield anualizado de 9,9%, levando em conta o valor da cota negociada na B3 em 30 de julho e 9,8% com base no valor da cota patrimonial em 30 de julho. Além disso, o número de cotistas alcançou a marca dos 11.146 investidores.

O volume negociado durante o mês pelo RVBI11 atingiu o montante de R$ 8,9 milhões, o que representa um giro de 6,8% em relação ao do valor de mercado no período. Ao final de julho, as receitas foram de R$ 1,9 milhão. Com as despesas, se teve R$ 100 mil em despesas e o lucro líquido de R$ 1,8 milhão, dos quais R$ 1,1 milhão foram distribuídos.