O Fundo de Investimento Imobiliário Votorantim Securities (VSEC11), administrado por Votorantim Asset Management DTVM LTDA, divulgou nesta quarta-feira (31) o seu relatório gerencial do mês de fevereiro, no qual descreveu seus resultados e rendimentos mensais, assim como a atualização de seu posicionamento estratégico de investimentos.

O objetivo de criação do VSEC11 é proporcionar aos cotistas uma rentabilidade através de investimentos em ativos financeiros de origem imobiliária, como, por exemplo, os Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs), Letras de Crédito Imobiliário (LCIs), cotas de outros fundos de investimento imobiliário (FIIs) e afins.

O gestor do Securities (VSEC11), que também é o Votorantim Asset Management DTVM LTDA, lembra a situação da pandemia no Brasil, que diferentemente da maioria dos países, terminou o mês de fevereiro com um quadro ainda preocupante.

Além disso, o VSEC11 apontou que o avanço da doença levou os novos líderes no congresso, eleitos no começo do mês e em tese mais alinhados ao poder executivo, a desenhar com o governo uma nova rodada de auxílio aos mais vulneráveis.

O gestor do Votorantim Securities acredita que mesmo com a reedição do programa nos parâmetros atuais, o déficit primário do governo central irá diminuir para próximo de 2,2% do PIB neste ano, vindo de 10% do PIB em 2020.

O VSEC11 afirma que diante dos riscos inflacionários vindos de choques mais persistentes dos preços internacionais de commodities, o fundo antevê agora uma reação mais intensa do Copom.

Portfólio do VSEC11

A carteira de CRI do VSEC11 conta com 15 papéis, num valor total de R$467,5 milhões, divididos em 8 setores. Esses setores, seguidos do percentual do patrimônio líquido do fundo alocado em cada um deles, são:

  1. Residencial - 15,8%; 
  2. Multiuso - 13,7%;
  3. Shopping center - 9,3%;
  4. Logístico - 7,4%; 
  5. Hoteleiro - 7,8%;
  6. Loteamento - 2,6%;
  7. Corporativo - 1,0%;
  8. Built-toSuit - 0,7%;

No gráfico a seguir, é possível ver a exposição do VSEC11 nos CRIs citados e também em outros segmentos de ativos. Importante dizer que a exposição do fundo em Fundos de Investimento Imobiliários (FIIs) é de 42,1%.

VSEC11 anuncia a exposição da sua carteira de CRI em fevereiro

Importante dizer também que 88,1% desta carteira do Votorantim Securities é indexada ao CDI, enquanto os 11,9% restantes encontram-se indexados a índices de inflação como o IGP-M e o IPCA. Nas principais exposições do fundo, inclui-se o empreendimento Matarazzo, equivalente ao valor de R$99,6 milhões, que é 12,4% do patrimônio líquido do fundo.

VSEC11 anuncia a exposição da sua carteira de CRI em fevereiro

O VSEC11 tem uma posição de caixa de R$30 milhões, além de investimentos em cotas de FIIs e FIPs no valor de cerca de R$339 milhões. No ano de 2021, o fundo já recebeu pouco mais de R$5,29 milhões em amortização dos quais quase R$2,09 representam o Shopping Plaza Maca. Deste total, o Alphaville Loteamento representa quase R$1,78 milhão.

Resultados e rendimentos

Os dividendos declarados em fevereiro pelo Votorantim Securities foram de R$0,35 por cota, ou seja, um yield de 0,36% sobre a cota patrimonial e 276% do CDI do período. O pagamento ocorrerá no dia 15 de março de 2021. 

VSEC11 anuncia a exposição da sua carteira de CRI em fevereiro

Além disso, a rentabilidade efetiva do VSEC11 em fevereiro alcançou 299% do CDI. A cota patrimonial do fundo fechou o mês em R$97,58, enquanto a cota negociada em bolsa ficou em R$90,00. A diferença entre elas é de -7,7%.

Em suma, a receita total do Votorantim Securities em fevereiro atingiu R$1,06 milhão, enquanto as despesas foram pouco mais de R$2,035 milhões. Os rendimentos totais no período foram de R$3,097 milhões e o resultado a ser distribuído alcançou R$2,87 milhões. A quantidade de cotas emitidas do fundo é de 8,2 milhões e ele tem 635 cotistas. O patrimônio líquido do VSEC11 é de R$800,7 milhões.