O que é Rendimento? Entenda o conceito financeiro e amplie seus lucros

O que é Rendimento? Entenda o conceito financeiro e amplie seus lucros


Quando o investidor opta por alocar seus recursos em determinados tipos de investimento, uma dos principais objetivos é fazer com que esse dinheiro “trabalhe para ele”. Sendo assim, a busca é que esse recurso produza certo rendimento ao longo do tempo.

Seja em ações, FIIs, ou até mesmo na renda fixa, há um constante estudo e acompanhamento do mercado pelos investidores, gestores e especialistas para saber qual dos investimentos está trazendo o melhor rendimento naquele período.

Ao mesmo tempo, é importante entender as particularidades de cada um dos veículos de investimento, as legislações aplicáveis e quais deles produzem a melhor relação risco-retorno. Mas afinal, o que é rendimento?

O que é rendimento nos investimentos?

No mercado financeiro, o rendimento é o nome dado ao retorno obtido com determinado investimento. Desse modo, ele é calculado a partir da diferença entre o valor total investido e o montante final alcançado após o resgate da aplicação.

O rendimento nos investimentos também é conhecido como rentabilidade. Em tese, o investidor busca sempre ter o melhor rendimento em qualquer aplicação, embora cada uma delas tenha seus riscos associados e suas características próprias.

Alguns investimentos com maior risco podem ter um potencial de retorno maior ao investidor. No entanto, sobretudo quando se refere a ativos de renda variável, nem sempre se consegue obter ganhos positivos em determinadas aplicações. 

Desse modo, saber o que é rendimento e conseguir obtê-lo de forma segura e crescente nos investimentos é algo que pode ser muito importante para o investidor. 

Muitos querem grandes rentabilidades em suas aplicações, mas não sabem criar uma carteira que preze pelo gerenciamento de risco e pela busca por retorno, simultânea. Nesse caso, há diferentes tipos de ativos que podem ser escolhidos na construção de um portfólio de investimentos, sendo importante conhecer cada um deles.

Tipos de rendimentos nos investimentos

A rentabilidade nos investimentos pode ser distribuída em diferentes formas, compreendida em três conceitos essenciais, que são:

Rendimento nominal

É o valor bruto que o investimento rendeu em um determinado período. O valor bruto é o montante total do rendimento de um investimento sem desconto nenhum, isto é, antes implicação de taxas e impostos.

O rendimento nominal pode ajudar a acompanhar os investimentos, comparando seu desempenho com as taxas oferecidas em outros produtos similares. Dessa forma, o investidor vai poder analisar se está tendo uma boa performance ou se deve procurar oportunidades melhores.

Rendimento líquido

O rendimento líquido é a rentabilidade nominal após descontados os custos do investimento, ou seja, os impostos e taxas. É através dele que o investidor irá encontrar o valor exato de sua rentabilidade.

Além disso, ele ajuda a verificar o impacto que os custos estão tendo sobre os investimentos e analisar se há outros produtos que te permitam reduzir essa despesa sem afetar seus rendimentos.

Rendimento real

O rendimento real é quanto a sua aplicação rendeu depois de descontada a variação da inflação. É comum no mercado financeiro, dizer que essa é a rentabilidade que realmente vale a pena ser considerada, pois é ela que vai garantir de fato o aumento do seu patrimônio.

Com isso, se o investimento render exatamente o valor da inflação, sem nada mais de rentabilidade real, significa que apenas se manteve o poder de compra. 

Ou seja, o investidor compra com o seu dinheiro hoje, a mesma coisa que comprava antes de aplicá-lo, em teoria. No entanto, se ele render menos do que a inflação, então se perdeu poder de compra.

Como analisar o rendimento de uma aplicação?

Para analisar se uma aplicação teve ou não uma rentabilidade acima da inflação, você deverá primeiro escolher um índice inflacionário para usar como referência. O mais utilizado é o Índice de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA), embora também existam outros.

Uma vez que o investidor conheça o valor da inflação, o mesmo poderá fazer as contas e comparar com o seu rendimento nominal. Assim, ele verá se sua performance foi superior ou inferior.

Outro fato importante é que essa metodologia permite conferir o crescimento do patrimônio aliado à manutenção do poder de compra do investidor.

o que é rendimento?

Exemplos de rendimentos

Quando se trata de investimentos, a rentabilidade é geralmente considerada a partir do resultado obtido em determinada aplicação. Apesar disso, conceitualmente, o próprio salário de um trabalhador pode ser considerado como um dos exemplos de rendimento.

A partir disso, alguns dos principais exemplos de rendimentos são:

Como aumentar o rendimento dos investimentos?

Na teoria, ter um retorno financeiro relevante nos investimentos parece ser mais simples do que parece. Na prática, uma série de variáveis são importantes para conseguir aumentar o rendimento em suas aplicações.

Para conseguir aumentar seus rendimentos, 5 atitudes simples podem ser pouco a pouco sendo tomadas pelo investidor, como:

  1. Ter objetivos definidos e claros;
  2. Ter conhecimento de seu perfil de investidor;
  3. Aprender sobre renda variável;
  4. Considerar se expor a investimentos de maior risco;
  5. Gerenciar os riscos e diversificar a carteira.

Um dos primeiros passos antes de buscar aumentar os rendimentos é entender quais são os objetivos que se tem com aquele recurso no futuro. A partir de metas claras e bem definidas, a jornada do investidor, que exige disciplina e paciência, acaba tendo facilidade de obter sucesso no longo prazo.

Após definir objetivos financeiros e quais são suas motivações para construir patrimônio no futuro, é necessário que se conheça o próprio perfil de investidor. Quando se tem uma maior aversão ao risco, é importante se expor menos em ativos de renda variável até que as variações bruscas do mercado não se tornem tão preocupantes.

Nesse caso, antes de se expor em ativos de renda variável, sobretudo àqueles de mais alto risco, é fundamental conhecer como cada um deles funciona. Se o investidor conhece as suas particularidades e a sua volatilidade de preço, vai estar mais confortável com isso pensando em um rendimento maior no longo prazo.

Quando se investe em ativos de maior risco sem conhecimento, os momentos de queda podem fazer com que o investidor tome alguma atitude desesperada. Por falta de uma estratégia bem definida, pode-se obter rendimentos mais baixos do que o esperado, ou ainda, amargar fortes prejuízos, dependendo do tamanho da sua exposição.

Por fim, independente de quanto conhecimento se tem de ativos mais arriscados, um investidor de sucesso no longo prazo sempre busca gerenciar seus riscos, por meio da diversificação da carteira em diferentes tipos de investimento, como renda fixa, ações e fundos imobiliários, por exemplo.

Além disso, reinvestir o rendimento adquirido pode ser uma das alternativas para acelerar o processo de ganhos no longo prazo, utilizando-se da “magia” dos juros compostos. 

O mais interessante é realizar aportes recorrentes que estejam de acordo com a realidade financeira do momento e não arriscar todo patrimônio de uma só vez em algum tipo de ativo.

Foi possível entender o que é rendimento nos investimentos e como é possível aumentá-los? Deixe nos comentários suas dúvidas e sugestões.

ACESSO RÁPIDO
comente este artigo últimas notícias