O Fundo de Investimento Imobiliário BB Progressivo II (BBPO11), administrado pelo Votorantim Asset Management DTVM LTDA., divulgou nesta quinta-feira (18) o seu relatório gerencial do mês de fevereiro, no qual descreveu seus resultados e rendimentos mensais.

O objetivo do BB Progressivo II, ao ser criado, foi de adquirir agências e centros administrativos do Banco do Brasil, para alugá-los ao próprio Banco do Brasil pelo prazo inicial de 10 anos, através de contrato atípico, proporcionando aos cotistas renda mensal advinda da locação. O fundo possui 64 imóveis, localizados em diversas regiões do Brasil.

O relatório aponta que ao longo do segundo semestre de 2020, BBPO11 apresentou forte oscilação das cotas devido aos rumores de mercado acerca da devolução de lajes corporativas em função da adoção da prática de trabalho remoto, também chamado de home office.

Vale ressaltar que o BB Progressivo II afirma que até o momento atual não existe nenhuma indicação por parte do Banco do Brasil de que haverá devolução antecipada de espaços locados.

O BBPO11 ainda afirma que apesar de eles estarem a 21 meses do vencimento dos contratos atípicos, a equipe de gestão já iniciou trabalho estratégico para avaliação e estudo vocacional de cada imóvel e seu potencial de utilização, tendo assinado contrato em 11 de janeiro de 2021 com a empresa de consultoria imobiliária Coldwell Banker Richard Ellis (CBRE) para assessorar o fundo.

Além disso, há menção de que o principal imóvel do BB Progressivo II, o Edifício Sede III, possui renovação de contrato na modalidade típica assinada pelo período adicional de 5 anos a partir de novembro de 2022.

Portfólio do BBPO11

Conforme aponta o gestor do fundo, o BB Progressivo II (BBPO11) é um fundo híbrido com portfólio que se divide em agências bancárias, que representa 40%, e lajes corporativas que corresponde a 60%.

O caixa do BBPO11 é inicialmente composto por aporte realizado pelo Banco do Brasil, correspondente a um montante de R$130,9 milhões para fazer frente às benfeitorias necessárias já planejadas ao longo dos 10 anos do contrato de aluguel.

Além disso, o BB Progressivo II destaca que realizou um aporte de R$56 milhões, com o objetivo de serem gastos com ITBI e emolumentos cartorários referentes à integralização dos ativos alvo no BBPO11. No mês de janeiro de 2020, o caixa do fundo estava em R$82,1 milhões.

Na distribuição de imóveis por estado do portfólio do BBPO11 as 5 maiores posições por Área Bruta Locável (ABL) são:

  1. São Paulo - 120.687;
  2. Minas Gerais - 49.029 ;
  3. Distrito Federal - 39.261;
  4. Paraná - 29.025;
  5. Rio de Janeiro - 19.919;

BBPO11 divulga resultados e rendimentos do mês de fevereiro

Importante dizer que nesse portfólio do BB Progressivo II , 92,3% é composto por imóveis para renda, enquanto 7,7% é a parte correspondente à renda fixa. Em outro tipo de divisão, temos que 42,9% do portfólio está na categoria prédio comercial + agência térrea, 36,0% em agência e 21,1% em prédio comercial.

BBPO11 divulga resultados e rendimentos do mês de fevereiro

Resultados e rendimentos do BBPO11

O gestor do BBPO11, Votorantim Asset Management DTVM LTDA., diz que o fundo possui patrimônio líquido de R$1,8 bilhão e sua rentabilidade em fevereiro de 2021, considerando a variação da cota patrimonial somada aos rendimentos distribuídos, foi de 1,07%.

Além disso, a última distribuição de rendimentos anunciada pelo BB Progressivo II foi de R$1,08 por cota, ou seja, representava um dividend yield de 0,95% sobre a cota de mercado ao final do mês de janeiro.

BBPO11 divulga resultados e rendimentos do mês de fevereiro

Em suma, a receita total do BBPO11 em janeiro foi de R$18,41 milhões, enquanto as despesas totalizaram quase R$512 mil. Os rendimentos totais alcançaram R$17,9 milhões, enquanto o resultado distribuído (no décimo dia útil do mês subsequente a janeiro) fechou  em R$17,23 milhões. Desse modo, a quantidade de cotas emitidas é de quase 16,92 milhões.