O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ quinta-feira‌ ‌(18)‌ ‌em queda de -0,48%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.591,02 pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ novembro ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ -3,16%‌ ‌e‌ 9,72%,‌ ‌respectivamente.‌  

Também, o ‌‌índice‌‌ ‌‌‌‌SUNO30‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌em‌‌ queda de -0,46%‌ ‌‌e‌‌ ‌93,36 pontos.‌‌ ‌‌Veja‌‌ ‌‌na‌‌ ‌‌tabela‌‌ ‌‌‌abaixo:‌‌

fechamento FIIs

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

HGLG11 faz aquisição de fração de terreno para construção de galpão

A Credit Suisse, gestora do CSHG Logística FII (HGLG11), comunicou nesta quinta-feira (18) aos seus investidores, a compra de 40% de um terreno para desenvolvimento de galpão logístico. 

O fundo assinou a escritura de compra de um terreno que está em construção de galpão logístico, integrante do complexo logístico denominado Cone Multimodal, localizado no município de Cabo de Santo Agostinho, estado de Pernambuco. 

A área total de terreno é de 59.672,97 m² e a área construída projetada é de aproximadamente 18.471 m², sendo importante ressaltar que o Fundo já detinha a fração do terreno e participação correspondente a 30% do ativo. 

Forma de pagamento

O valor de aquisição da fração ideal de 40% foi de R$ 30.000.000,00, o qual será pago da seguinte maneira: 

  1. Uma parcela de R$ 16.381.878,14 foi paga junto à assinatura da Escritura; 
  2. Uma parcela de R$ 5.447.248,74 será paga tão logo comprovada a medição e evolução da obra prevista para o mês de novembro de 2021; 
  3. Uma parcela de R$ 5.447.248,74 será desembolsada após evolução da obrano mês de dezembro de 2021; 
  4. Por fim, a parcela de R$ 2.723.624,37 será paga tão logo comprovada a finalização da obra, prevista para janeiro de 2022. 

Além do pagamento dos pagamentos, o HGLG11 se comprometeu a pagar ao vendedor um prêmio variável caso o ativo estiver pronto e com, pelo menos, 80% de sua área locada. 

O valor do prêmio será em torno de R$ 30.000.000,00, assim entendido como o valor efetivamente pago pelos aluguéis contratados no Ativo, apurados em regime caixa após carências e descontos, limitado ao valor de R$ 45,00/m². 

Por fim, foi estabelecido nos acordos assinados que o vendedor pagará ao HGLG11, enquanto inexistente fluxo de locação do ativo, mensalmente, valor correspondente a uma taxa anualizada de 10% calculada sobre o somatório do capital despendido pelo fundo. 

O CSHG Logística FII tem por objeto a exploração de empreendimentos imobiliários voltados primordialmente para operações logísticas e industriais, por meio de aquisição de terrenos para sua construção ou aquisição de imóveis em construção ou prontos, para posterior alienação, locação ou arrendamento. 

SDIL11 terá recurso extra para pagamento de galpão logístico

A Rio Bravo, gestora do FII SDI Rio Bravo Renda Logística (SDIL11), detalhou em fato relevante divulgado na última quinta-feira (1), que poderá usar recurso retido para pagar imóvel logístico adquirido neste ano.  

No mês de abril deste ano, o SDIL11 divulgou em fato relevante a celebração do Compromisso de Compra e Venda (CCV) do Centro Logístico Contagem (CLC), empreendimento de alto padrão, Classe AAA, localizado no município de Contagem. 

Neste caso, o preço de aquisição do imóvel foi de R$ 350.000.000,00. Quando da realização do pagamento da primeira parcela de aquisição, houve a retenção, por parte do fundo, de uma parcela de cerca de 3% do valor total da operação (ou seja, retenção de R$ 12.008.083,35) para garantia da resolução de um ponto de discussão entre o vendedor do imóvel e a locatária. 

Neste caso, a locatária pediu, no início de 2021, a aplicação de penalidade de multa por atraso na entrega da obra, contra os antigos proprietários e incorporadores do CLC imóvel, no valor de R$ 24.016.166,70, sendo que os valores das penalidades poderiam ser retidos mensalmente do valor de locação contratual até o limite das multas. 

Diante de tal fato, a parte vendedora ajuizou ação para impedir a retenção dos créditos referentes ao valor da locação mensal, obtendo a seu favor uma liminar que impedia a locatária de realizar qualquer retenção ou compensação. 

No entanto, em novembro de 2021, a referida liminar foi revogada, sendo que a locatária poderá realizar a retenção mensal da locação, a partir do mês de novembro (efeito caixa em dezembro/2021), até que seja alcançado o montante total das multas. 

Como determinado no CCV, o SDIL11 poderá utilizar a retenção mencionada acima e já realizada, de R$ 12.008.083,35, para completar o montante original do aluguel mensal. 

Além disto, o fundo ainda poderá deduzir o valor adicional de R$ 12.008.083,35 da última parcela de aquisição, de R$ 130 milhões, a ser paga até abril de 2022, atingindo a retenção total de R$ 24.016.166,70, montante equivalente à penalidade cobrada pela locatária. 

Portanto, tal decisão não traz impacto para o funcionamento das operações e recebimento mensal das receitas locatícias por parte do fundo.

O FII SDI Rio Bravo Renda Logística tem por objeto a realização de investimentos em empreendimentos imobiliários de longo prazo, por meio de aquisição e posterior gestão patrimonial de imóveis de natureza logística e industrial, notadamente galpões logísticos, preferencialmente regiões metropolitanas das principais capitais do país.

VGIP11 informa resultado e mostra operações do mês

A gestão do Valora Cri Índice de Preço FII (VGIP11) detalhou em seu Relatório Gerencial divulgado na quinta-feira (18) passada, o desempenho do fundo no mês de outubro. A Valora Investimentos também explicou as operações de compra e venda efetuadas pelo fundo. 

Em relação à distribuição de resultados, o fundo pagará R$1,25 por cota como rendimento referente ao mês de outubro de 2021. Isso equivale a uma rentabilidade líquida de IPCA + 5,6% ao ano com base no valor patrimonial da cota de R$95,72. Confira abaixo:

VGIP11

O VGIP11 encerrou o mês de outubro com uma reserva de caixa equivalente a R$0,15 por cota para eventuais despesas, incluindo taxa de performance. 

Em relação à alocação de seu capital, o fundo fechou o mês com a totalidade de seu patrimônio líquido alocado em CRI, distribuídos em 37 diferentes operações, num total investido de R$755,1 milhões. Os demais recursos estavam investidos em instrumentos de caixa. 

Operações do mês

Durante o mês de outubro, o VGIP11 adquiriu um total de R$87,3 milhões em CRI distribuídos em 6 diferentes operações, sendo 4 já existentes na carteira. 

Foram investidos adicionalmente: 

  • R$2,6 milhões no CRI Socicam Chapecó com cupom de IPCA + 9,0% ao ano 
  • R$1,06 milhão no CRI Monvert com cupom de IPCA + 10,5% ao ano, além de recomprados R$20,2 milhões dos CRI JSL Ribeira 261S e CRI JSL Ribeira 268S. 

Em relação às novas operações, seguem abaixo: 

  • R$40 milhões no CRI GTLG com cupom de IPCA + 5,93% ao ano 
  • R$23,5 milhões no CRI Mabu 204S com cupom de IPCA + 9,75% ao ano 

Com o objetivo de gerar caixa para novas aquisições, o VGIP11 vendeu ativo e realizou lucro de R$25,1 milhões em CRI, distribuídos em 4 operações, todas indexadas ao CDI. 

Com isso, o fundo passa a ter 93,2% de sua carteira de CRI indexada ao IPCA, 1,2% em IGPM e 5,6% em CDI. Confira abaixo:

VGIP11

No início do mês de novembro, o fundo adquiriu um total de R$9,4 milhões em CRI, distribuídos em 3 operações distintas, sendo duas já existentes na carteira.

O Valora Cri Índice de Preço FII é um fundo imobiliário do tipo papel . O foco de seus investimentos está em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), conforme critérios definidos na política de investimento do fundo.