O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ terça-feira‌ ‌(24)‌ ‌em alta de 0,04%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.720,60 pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ agosto ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ -3,66%‌ ‌e‌ -5,21%,‌ ‌respectivamente.‌ ‌

Já o ‌‌índice‌‌ ‌‌‌‌SUNO30‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌em‌‌ baixa ‌de‌ -0,14%‌ ‌‌e‌‌ ‌99,01 pontos.‌‌ ‌‌Veja‌‌ ‌‌na‌‌ ‌‌tabela‌‌ ‌‌‌abaixo:‌‌ ‌ 

fechamento fiis

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

LVBI11 informa resultados e explica a gestão de seus imóveis

A‌ VBI Estate Gestão de Carteiras,‌ ‌gestora‌ ‌do‌‌ FII VBI LOG (LVBI11),‌ ‌comunicou‌ ‌nesta‌ terça-feira ‌(24)‌ os resultados do mês de julho. Também, a VBI Estate deu detalhes sobre a a gestão dos seus ativos.

A gestão comunicou que a distribuição de rendimentos referente ao mês de julho foi equivalente a R$ 0,62 por cota, pagos no dia 06 de agosto. 

A receita do LVBI11 foi “impactada positivamente pelo recebimento da remuneração de capital mínima negociada no Ativo Aratu (R$ 0,05/cota)”, disse a VBI Estate Gestão de Carteiras. Confira na tabela abaixo:

LVBI11

Por outro lado, o resultado do fundo também foi impactado de forma negativa, mas não recorrente. Houve despesas referentes “às comissões de locações e diligência em ativos que não foram adquiridos pelo LVBI11 (R$ 0,05/cota). 

Para não prejudicar o patamar de dividendos, foi distribuído no mês a reserva de lucro, neste caso, aproximadamente R$ 0,04 por cota. 

A gestão afirmou que a distribuição do mês representa um dividend yield de 6,5% do fundo ao final de julho ou, 7,1% sobre o preço de fechamento das cotas no mercado secundário (R$ 105,00). 

Gestão dos ativos do fundo

Um dos pontos mais relevantes em relação ao portfólio do LVBI11, é taxa de vacância financeira de 0%, sendo vacância física de 2,8%. Isso se deu em função da área disponível para locação do ativo Aratu. 

Porém, a área sem locação não tem impacto financeiro pois foi negociado “rendimento mínimo garantido” até maio de 2023. Veja abaixo o perfil dos ativos do fundo:

LVBI11

No ativo Araucária, foram iniciadas as obras referentes a Fase 2, que se refere à execução do novo pátio de estacionamento de caminhões e das novas docas. A empresa Magazine Luiza que é a locatária do imóvel. 

No ativo Aratu, as obras do Galpão G02 estão em andamento e atingiram ao final do mês de julho 16% de evolução física e, conforme o cronograma planejado, possui entrega prevista para o 2T 2022. 

A gestão informou que no Ativo Jandira, as obras relacionadas às melhorias do ativo são responsabilidade dos vendedores do ativo, que encontram-se em fase final. 

Sobre o ativo Pirituba

No mês passado, mais especificamente no dia 21, o fundo assinou Termo de Acordo para aquisição da Área Pirituba, um ativo ainda em desenvolvimento. 

Desta forma, o LVBI11 irá desenvolver nesta área um empreendimento consistente em dois galpões logísticos Last Mile com área construída total de aproximadamente 8.450 m². O investimento estimado é de R$ 16,9 milhões.  

A gestão espera que o yield de desenvolvimento estimado seja de aproximadamente 11% ao ano, com o rendimento mensal de R$0,01 por cota após a construção e locação do novo imóvel. 

O FII VBI LOG tem como objetivo a obtenção de renda e ganho de capital por meio de, no mínimo, dois terços do seu patrimônio líquido investido em imóveis ou direitos reais sobre imóveis do segmento logístico ou industrial, bem como indiretamente, através de ações ou cotas de sociedades de propósito específico, cotas de FIIs.

XPCM11 informa resultados e como será a receita do fundo no semestre

A XP Vista Asset, gestora do XP Corporate Macaé FII (XPCM11), comunicou nesta terça-feira (24) aos seus cotistas os resultados do fundo. No Relatório Gerencial, a gestora detalhou sobre como será a receita do fundo nos próximos meses.

A gestão informou que referente ao mês de junho, o XPCM11 distribuiu o valor de R$0,21 por cota. Isso corresponde a um dividend yield anualizado de 6,01% em relação ao valor da cota no fechamento do mês (R$41,90). Confira os resultados abaixo:

XPCM11

Desta forma, a XP Vista Asset reforçou que a Petrobras pagará ao fundo o valor de R$29.751.144,91 referente à indenização e multa por sua rescisão contratual. Esses valores serão pagos em 6 parcelas semestrais consecutivas, lembrando que a primeira parte foi paga em fevereiro deste ano. A segunda, foi paga agora, em agosto. 

Desta forma, o resultado do fundo será sempre composto pelas despesas com o prédio The Corporate e a entrada dos recursos referentes à multa da Petrobras. A gestão reforçou que no 1º semestre de 2021 o fundo recebeu o último aluguel da empresa.

A gestora afirmou estar se esforçando para prospectar novos inquilinos de outros segmentos, sem se ater ao setor de óleo e gás. 

O XP Corporate Macaé FII é um fundo imobiliário do tipo tijolo. Seu foco é auferir ganhos pela aquisição, para exploração comercial, do edifício The Corporate, localizado em Macaé, Rio de Janeiro.

XPIN11 informa resultados e explica subscrição de cotas e saída de locatário

O XP Industrial Fundo de Investimento Imobiliário (XPIN11), representado por sua gestora XP Vista Asset Management, comunicou aos seus cotistas nesta última terça-feira (24) os resultados do fundo referentes à julho. Também, a gestão detalhou a subscrição de novas cotas e saída de locatário de área do fundo.  

Referente ao mês de junho, a distribuição de R$ 0,64 por cota foi comunicada no dia 06 de agosto. De acordo com a Xp Vista Asset, esse valor corresponde ao dividend yield anualizado de 7,7% em relação ao valor da cota de mercado no fechamento do mês (R$ 100,11/cota). Confira na tabela abaixo:

XPIN11

O resultado decorreu do recebimento de todos os valores de locação devidos ao XPIN11, além da antecipação, por 3 locatários, dos aluguéis que seriam devidos no mês de agosto. 

Já no mercado secundário, o volume de negociação da cota foi de R$ 28,4 milhões, com uma média diária de R$ 1,4 milhão. Na verdade, houve uma redução de 6% em relação à média do mês anterior. 

No dia 17 deste mês, a gestão comunicou ao mercado sobre o encerramento do período de exercício do Direito de Sobras e Montante Adicional. Da mesma forma, foi informado sobre a liquidação das novas cotas subscritas durante o Período de Exercício do Direito de Sobras e Montante Adicional. 

Por isso, em 18 de agosto, começou o período de subscrição de novas cotas por Investidores Profissionais. 

Entre o relatório do mês passado e este novo texto, a gestora informou que ocorreu apenas um evento de movimentação de locatários do portfólio do fundo. Houve a rescisão parcial de 2.866 m² da área alugada pela THC no condomínio Barão de Mauá. Isso se deu por uma reestruturação das operações da empresa.  

Sobre a locação dos espaços vagos, a gestão juntamente com a equipe comercial da BBP “estão engajadas na prospecção de potenciais locatários e possuem algumas negociações em andamento neste momento”, destacou a XP Vista Asset.

Observe abaixo o perfil do portfólio do fundo, neste caso, em relação à vacância e o setor de atuação dos locatários:

XPIN11

O XP Industrial Fundo de Investimento Imobiliário (XPIN11) tem como objetivo a obtenção de renda e ganho de capital por meio da compra de ativos imobiliários industriais ou logísticos. Isso inclui imóveis que estão em construção ou imóveis prontos para venda, locação ou arrendamento.