O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ terça-feira‌ ‌(28)‌ ‌em queda de -0,42%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.700,32 pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ setembro ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ -1,8%‌ ‌e‌ -5,91%,‌ ‌respectivamente.‌

Também, o ‌‌índice‌‌ ‌‌‌‌SUNO30‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌em‌‌ queda de -0,41%‌ ‌‌e‌‌ ‌98,24 pontos.‌‌ ‌‌Veja‌‌ ‌‌na‌‌ ‌‌tabela‌‌ ‌‌‌abaixo:‌‌ ‌ 

fechamento fiis

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

MORE11 mostra resultados e divulga o giro de sua carteira

A gestão do More Real Estate Fundo de Fundos (MORE11), detalhou em seu Relatório Gerencial divulgado na terça-feira (28), a performance do fundo no mês de agosto. Desta forma, a More Invest Gestora de Recursos publicou os resultados do FII e descreveu a movimentação dos seus ativos.

A gestão fez um giro da carteira durante o mês por meio de pequenas movimentações pontuais em diversos FIIs. Assim, o MORE11 conseguiu garantir o dividendo de R$ 0,70 pelo segundo mês consecutivo. Confira abaixo os resultados:

MORE11

O fundo pretende manter seu patamar de distribuição de dividendos neste semestre entre R$ 0,60 e R$ 0,80/cota – em linha com o estudo de viabilidade da oferta.

Operações do mês

Através da análise fundamentalista dos ativos, a gestão afirma ter a tranquilidade de manter posições que os resultados virão no médio prazo, como por exemplo, o book de fundos de lajes corporativas. 

Observe abaixo as alocações por segmento do MORE11:

MORE11

Por meio da atual oscilação do mercado, a gestão tem feito muita movimentação de carteira para a manutenção do ganho de capital. Na verdade, esta alta movimentação faz parte da estratégia central do fundo. 

Segue abaixo as principais  operações de compra do mês: 

  • Compras (oferta) ALZR11 +2,2% da carteira (aumento de posição ALZR).
  • Aumento de posição por meio da oferta de IRDM11
  • Compra de ARRI11 
  • Compra de URPR11 na oferta de cotas 

O fundo também realizou algumas posições por meio de vendas de cotas. Confira os ativos: 

  • SPVJ11 
  • MGLG11 
  • RBRY11

O More Real Estate Fundo de Fundos tem como objetivo auferir rendimentos e ganhos de capital na aquisição de FIIs e outros ativos ligados ao mercado imobiliário.

TGAR11 mostra resultados e operações de sua carteira

A TG Core, gestora do TG Ativo Real (TGAR11), detalhou em seu último Relatório Gerencial divulgado nesta terça-feira (28), os resultados do fundo no mês de agosto. Além disso, a gestão trouxe detalhes sobre as operações e o perfil dos ativos do fundo. 

Nesse mês o fundo distribuiu R$ 1,10 por cota, o que, dada a cota de fechamento (R$ 128,19), correspondeu a um dividend yield (DY) mensal de 0,86%, ou, em termos anualizados, de 10,80%. 

Confira abaixo os resultados: 

TGAR11

Em agosto de 2021, foram alocados R$ 116,3 milhões, tanto em novos ativos imobiliários, dentre crédito e equity, quanto no desenvolvimento de ativos que já compunham a carteira do fundo no fechamento de julho. 

O montante alocado foi bastante acima da média mensal de R$ 69,09 milhões nos últimos 12 meses, o que faz deste um trimestre de destaque em termos de alocação. 

Com relação aos ativos de crédito, foram realizados reforços em duas séries de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs), conforme detalhado mais a frente. Já em relação ao desenvolvimento de ativos de equity que já compunham o portfólio do fundo foi destinado o montante de R$ 43,95 milhões. 

O ritmo de desenvolvimento dos empreendimentos da carteira, bem como a originação de novas oportunidades, segue acelerado: nos últimos doze meses até agosto, foram alocados R$ 829,1 milhões, dentre equity, ativos de bolsa e de crédito, o que corresponde à média de R$ 69,09 milhões por mês. 

O TGAR11 encerrou o mês de agosto com 53,10% do seu PL alocado em ativos das classes Equities Loteamento, Carteira de Recebíveis e Cipasa. A primeira classe segue sendo a principal fonte de receita do Fundo, em linha com o foco no desenvolvimento imobiliário, com destaque aos loteamentos abertos. 

O resultado sólido apresentado por essa classe de ativos tem como fatores, principalmente: 

  • o contínuo amadurecimento da carteira, com sucesso de vendas no lançamento de novos empreendimentos e novas etapas; 
  • a continuidade do trabalho dispendido no monitoramento das carteiras; 
  • novos empreendimentos saindo da fase de landbank e passando a contribuir para o fluxo de recebimento do fundo e; 
  • seguimento dos repasses, em alguns empreendimentos, dos índices de inflação

O TGAR11 é um fundo imobiliário do tipo tijolo (desenvolvimento). O foco de seus investimentos está na construção de imóveis para venda, além de investir em CRIs e ativos na bolsa de valores. 

VISC11 confirma aquisição de shoppings em várias regiões do Brasil

A gestora do Vinci Shoppings Centers FII (VISC11) informou seus cotistas por meio de fato relevante, a compra de shoppings para composição de seu portfólio. Além disso, a Vinci Real Estate mostrou como pagou pelos ativos.  

O fundo conclui a aquisição, de forma direta e indireta, dos seguintes shoppings centers: 

  • 21,4995% do Pantanal Shopping, localizado em Cuiabá, MT. 
  • 49,0% do Porto Velho Shopping, localizado em Porto Velho, RO. 
  • 40,0% do Shopping Boulevard, localizado no Rio de Janeiro, RJ. 
  • 100% do North Shopping Maracanaú, localizado em Maracanaú, CE. 

Desta forma, o VISC11 terá o direito ao recebimento integral dos resultados em regime caixa dos shoppings referentes às frações imobiliárias adquiridas. 

O cap rate estimado da transação é de 8,0% para os próximos 12 meses, e considerando apenas a garantia mínima de NOI, o cap rate seria de 6,9%. 

Da mesma forma, a gestora estima que a transação irá gerar uma taxa interna de retorno (TIR) de 15,1% ao ano.

Com as aquisições citadas acima, o VISC11 conclui a alocação dos recursos captados na 7ª emissão de cotas encerrada nesta data. Agora, o fundo possui 19 shopping centers em seu portfólio, distribuídos em 12 estados com presença em todas as regiões do país e administrados por 10 administradoras distintas.

Estrutura da Transação 

O valor final da transação foi de R$ 659.500.000,00 que ainda poderá ser acrescido de complemento de preço, relacionado à performance futura dos empreendimentos. 

Os recursos para a conclusão da transação foram obtidos por meio da 7ª emissão de cotas, no valor de R$ 363,8 milhões. 

Também, o fundo lançou mão de uma operação estruturada de securitização no valor de R$ 395,7 milhões com vencimento em 15 anos, corrigida por IPCA + 6,25 % ao ano e 3 anos de carência de amortização de principal. 

Além da quitação da transação, a captação em conjunto com a securitização resultou em uma adição de disponibilidades no fundo de R$ 100 milhões. 

Receita Esperada com as aquisições

A receita operacional líquida (NOI) do portfólio adquirido esperada para os próximos 12 meses é de cerca de R$ 45,6 milhões, em cenário conservador, considerando apenas a garantia de NOI mínimo. A transação apresenta um incremento mensal de R$ 0,03/cota ao resultado caixa do fundo. 

Adicionalmente, estimamos que o rendimento mensal distribuído pelo VISC11 de outubro de 2021 a setembro de 2022 se situe entre R$ 0,60 e R$ 0,66 por cota. 

Obviamente, essa estimativa não representa promessa ou garantia de rentabilidade ou isenção de riscos para os cotistas. 

O Vinci Shoppings Centers FII é um fundo imobiliário do tipo tijolo. Seu objetivo é a obtenção de renda por meio da aquisição ou venda de ativos imobiliários, em especial os shoppings centers.