Histórico! MXRF11 bate marca de 1 milhão de cotistas; por que ele é tão popular?

O fundo imobiliário MXRF11 atingiu uma nova marca histórica no Brasil e é o primeiro FII a alcançar a marca de 1 milhão de investidores.

Histórico! MXRF11 bate marca de 1 milhão de cotistas; por que ele é tão popular?
XPPR11: fundo imobiliário dispara mais de 15% na Bolsa de Valores; o que aconteceu? Foto: Pixabay

O fundo imobiliário MXRF11 alcançou a marca histórica de 1 milhão de cotistas, conforme divulgado nesta em informe mensal nesta terça-feira (16).

Assim, além de se consolidar como o maior fundo imobiliário da indústria em número de cotistas, o FII MXRF11 é o primeiro a alcançar a expressiva marca de 1 milhão de investidores.

Em relação ao informe anterior, divulgado em dezembro, a quantidade de cotistas do FII Maxi Renda registra um aumento de 2,35%, já que antes o fundo tinha 999.290 investidores e agora conta com 1.022.791.

Conforme o último boletim mensal de FIIs da B3, referente ao mês de dezembro, o número de investidores de fundos imobiliários no Brasil é de aproximadamente 2,503 milhões. Sendo assim, a quantidade atual de investidores do fundo MXRF11 representa mais de 40% da quantia total de cotistas da indústria.

Essa marca do MXRF11 supera em quase 132% o segundo colocado no ranking dos maiores fundos imobiliários da B3 nesse quesito, que é o HGLG11, com cerca de 441 mil.

Mas esse relevante crescimento na quantidade de investidores do Maxi Renda não é de agora. Conforme dados do portal Status Invest, o número de cotistas do MXRF11 ao final de dezembro de 2022 era 740 mil.

Assim, a alta acumulada em 12 meses é de aproximadamente 38%. A base de cotistas do FII MXRF11 também cresceu 51,3% em 2022 e aumentou cerca de 55,8% em 2021.

O que explica a popularidade do MXRF11?

O MXRF11 é um fundo imobiliário de papel, embora tenha um mandato de investimento mais amplo.

Assim, além de investir em ativos financeiros com lastro imobiliário, como em CRI, debênture, LCI e LH, o Maxi Renda pode investir em cotas de outros FIIs e ativos imobiliários (imóveis comerciais e projetos imobiliários residenciais, por exemplo).

Ainda no ano passado, o analista-chefe de Fundos Imobiliários da Suno Research, o professor Marcos Baroni, destacou alguns motivos que podem explicar essa popularidade do fundo imobiliário MXRF11.

Baroni destaca como um dos fatores o tempo de mercado do MXRF11 como um fundo de estratégia mais híbrida. Cabe lembrar que o Maxi Renda tem mais de 10 anos no mercado, sendo criado em 2012.

“Ele foi meio que um precursor de uma estratégia um pouco mais híbrida, embora de uns anos para cá foi mais direcionado a fundo de recebíveis”, explicou.

Além disso, o especialista lembra que o Maxi Renda é um FII negociado na base 10, o que também pode favorecer a sua maior popularidade. “Eles saíram na frente nessa questão de colocar cota na base dez. Isso fez com que o fundo ficasse mais popular, mais acessível, foi uma renovação. Claro que já tínhamos algumas coisas no mercado, mas o fato de ser base dez fez com que ganhasse popularidade”, afirma Baroni.

Outro fator importante é a sua estratégia, já que, segundo Baroni, “o fundo sempre procurou dentro dessa estratégia de ser híbrido ter uma carteira bem diversificada entre inflação e CDI. Então isso fez com que o fundo mantivesse um rendimento mais estável”.

Por fim, outra questão que pode “pesar” a favor do MXRF11 é o fato dele estar dentro da distribuição da XP que, por sua vez, se trata de uma corretora bastante popular e de alto alcance no mercado de FIIs.

Tags
foto: João Vitor Jacintho
João Vitor Jacintho

Redator profissional, com atuação no mercado editorial na produção de notícias e conteúdos sobre o mercado de ações, criptomoedas, fundos imobiliários e economia popular. Graduando em Engenharia Química pela Unesp, também já trabalhei como consultor financeiro.

últimas notícias