Quais são os melhores fundos imobiliários para 2024?

Com a recuperação de diversos fundos imobiliários na Bolsa de Valores em 2023, será que ainda há oportunidades para 2024? Confira agora.

Quais são os melhores fundos imobiliários para 2024?
ALZR11 vai pagar R$ 8,135 milhões em dividendos e mantém reserva "robusta". Foto: Pixabay

Na transição de 2022 para 2023, se observava um verdadeiro “mar de oportunidades” nos FIIs de forma geral. Com a recuperação das cotações de diversos fundos imobiliários ao longo deste ano, será que ainda há oportunidades para 2024?

Para Baroni, especialista em FIIs da Suno Research, ainda há espaço para novos avanços dos fundos imobiliários no próximo ano, principalmente em alguns segmentos específicos, que ainda estão descontados.

Em vídeo publicado no canal do YouTube “Professor Baroni”, ele diz que apesar da forte assimetria que outrora se observava nos preços de mercado em relação aos valores patrimoniais dos FIIs ter sido parcialmente superada, alguns segmentos ainda oferecem oportunidades relevantes de ganhos, como de recebíveis, lajes corporativas e os híbridos, por exemplo.

Nesse sentido, o especialista destaca a importância dos investidores serem mais seletivos nesse momento, dando uma atenção especial para o P/VP de alguns FIIs, mas também aos seus indicadores operacionais e financeiros.

“Dentro de cada uma das classes é importante encontrar fundos imobiliários que não tenham uma alavancagem que possa comprometer muito o patrimônio do FII. Por outro lado, os gestores que conseguirem fazer gestões ativas e gerarem valor na venda de imóveis tendem a equacionar a renda no curto prazo e proteger o valor patrimonial”.

Mas do ponto de vista do P/VP, quais são os segmentos que trazem os melhores fundos imobiliários para 2024?

Quais são as melhores oportunidades de fundos imobiliários para 2024?

Para basear sua análise, o especialista da Suno destacou o preço sobre valor patrimonial (P/VP) de diferentes segmentos de FIIs, comparando os números atuais com a média histórica no período compreendido de janeiro de 2012 a novembro de 2023. Os dados são os seguintes:

SegmentoP/VP atualP/VP médio
FOF0,910,96
Hedge Fund0,981,01
Híbrido0,90,98
Lajes corporativas0,690,84
Logística/Industrial0,961,01
Recebíveis0,911,02
Renda Urbana1,041,03
Shoppings Centers1,010,95

Nesse sentido, os fundos imobiliários de recebíveis, em média, estão negociando com um desconto de 11% em relação a sua média histórica. Assim, Baroni acredita que com a queda dos juros e uma inflação controlada, os FIIs desse segmento tendem a ganhar uma maior atenção por parte dos investidores em 2024, observando a relação risco-retorno.

FIIs de escritório (lajes corporativas) e os híbridos também se encontram com descontos relevantes. Apesar disso, não significa que os segmentos que negociam com ágio não possam trazer boas oportunidades.

Sobre os FIIs de renda urbana, eles representam um segmento um pouco mais “novo” no mercado e estão negociando com um P/VP próximo de sua média. Já os FIIs de shopping são uma categoria que negocia com ágio de 6%.

Baroni explica que esses dois segmentos são impactados positivamente e negativamente pelas variações de juros, principalmente do ponto de vista de reavaliação patrimonial.

“É bastante razoável pensar que esses ativos [FIIs de renda urbana e de shoppings] podem estar em defasagem em reavaliações patrimoniais, embora essa defasagem não se resolva de um mês para o outro, nem no curtíssimo prazo”.

Nesse caso, o especialista acredita que os valores patrimoniais desses FIIs podem ser positivamente reavaliados no prazo de 12 a 18 meses. Por essa razão, mesmo com o ágio atual registrado nesses segmentos, é importante considerar que os valores patrimoniais podem estar defasados, abrindo espaço para novos ganhos.

No caso dos Fundos de Fundos (FOFs), embora boa parte dos descontos patrimoniais já tenha se recuperado, Baroni também enxerga espaço para novas altas nesse segmento para 2024, enquanto nos fundos imobiliários do tipo Hedge Funds, a expectativa está na maior previsibilidade e estabilidade, conforme é mais comum nesse tipo de ativo.

foto: João Vitor Jacintho
João Vitor Jacintho

Redator profissional, com atuação no mercado editorial na produção de notícias e conteúdos sobre o mercado de ações, criptomoedas, fundos imobiliários e economia popular. Graduando em Engenharia Química pela Unesp, também já trabalhei como consultor financeiro.

últimas notícias