Novo fundo imobiliário do Itaú projeta retorno de 16% e outro FII “corta” dividendos em 46%; veja as mais lidas da semana

Novo fundo imobiliário do Itaú projeta retorno de 16%? Outro FII “corta” dividendos em 46%? Veja as notícias mais lidas da semana.

Novo fundo imobiliário do Itaú projeta retorno de 16% e outro FII “corta” dividendos em 46%; veja as mais lidas da semana
HGRE11 tem rentabilidade de 27,2% em um ano; FII vai pagar R$ 9,217 milhões em dividendos. Foto: Pixabay

A notícia mais lida da semana foi sobre o novo fundo imobiliário do Itaú, que está projetando um retorno de 16% ao ano.

Outra matéria de destaque foi sobre os FIIs que estão pagando mais de 1% ao mês em dividendos e estão superando a renda fixa.

Já o fundo imobiliário BTRA11 “cortou” seus dividendos em 46%. Qual o novo valor para janeiro?

O RBRF11 divulgou um novo desdobramento de cotas. Mas o que significa o processo de desdobramento?

Por fim, o BTLG11 anunciou uma nova oferta de R$ 1,2 bilhão, mas que pode chegar a até R$ 1,5 bilhão em seu valor máximo.

Confira a seguir um breve resumo com as notícias mais lidas da semana no mercado de fundos imobiliários.

1.   Novo fundo imobiliário do Itaú projeta retorno de 16% ao ano

O fundo imobiliário ITRI11, gerido pela Itaú Asset e pelo Itaú DTVM, está em sua 1ª emissão de cotas, buscando arrecadar até R$ 500 milhões. O fundo se destina aos investidores em geral. O retorno líquido total esperado é de 14% a 18% ao ano, com uma média de 16% ao ano nos próximos 3 anos.

O valor a ser levantado pelo novo fundo imobiliário tem como base a emissão de até 5 milhões de cotas, com o preço de emissão de R$ 100,00 por cota. A taxa de distribuição é de R$ 2,35 por cota (2,35% do preço de emissão), somando um valor de R$ 102,35 para a cota base.

LEIA MAIS: Novo fundo imobiliário do Itaú projeta retorno de 16% ao ano

2.   FIIs pagam mais de 1% ao mês em dividendos e superam renda fixa

A queda da Selic para 11,75% e a expectativa de alcançar 9% até o final de 2024, geram um efeito direto no mercado financeiro: diminui o custo de crédito para companhias e pessoas físicas, mas também traz redução de rentabilidade para investimentos de renda fixa, elevando a atratividade dos ativos de renda variável, como dos fundos imobiliários (FIIs).

Assim, o mercado de fundos imobiliários vem como uma oferta de produto financeiro mais atrativo que as operações de renda fixa, incluindo investimentos em CDB, geralmente atrelados à Selic.

LEIA MAIS: FIIs pagam mais de 1% ao mês em dividendos e superam renda fixa

3.   BTRA11: fundo imobiliário “corta” dividendos em 46%; veja o novo valor

O fundo imobiliário BTRA11 divulgou dividendos de R$ 0,30 por cota, com uma baixa de 46,4% em relação ao mês anterior, quando tinha sido pago R$ 0,56 por cota. O valor será distribuído em 31 de janeiro de 2024, mas apenas aos posicionados nas cotas do FII até o final do pregão de 24 de janeiro.

Em 12 meses, os dividendos do BTRA11 totalizam R$ 8,01 por cota, representando um dividend yield (DY) de 13,82% em relação à cotação atual de R$ 57,95. Assim, os proventos chegaram ao 3º menor patamar da história do fundo.

LEIA MAIS: BTRA11: fundo imobiliário “corta” dividendos em 46%; veja o novo valor

4.   RBRF11 anuncia novo desdobramento de cotas; o que isso significa?

O fundo imobiliário RBRF11 terá um novo desdobramento de cotas, na razão de 1 para 10. Ele vai ocorrer no fechamento dos mercados em 30 de janeiro de 2024. Assim, cada cota de emissão detida até a data base vai dar direito ao investidor receber outras 9 novas cotas, somando 10 cotas.

As cotas do FII RBRF11 passam a ser negociadas de maneira desdobrada a partir da sessão de 31 de janeiro de 2024. As cotas vindas do desdobramento vão ser creditadas aos investidores até 2 de fevereiro de 2024.

LEIA MAIS: RBRF11 anuncia novo desdobramento de cotas; o que isso significa?

5.   BTLG11 anuncia nova oferta de R$ 1,2 bilhão; veja quem pode participar

O fundo imobiliário BTLG11 aprovou sua 13ª emissão, no valor de R$ 1,2 bilhão, referente à emissão de até 11,805 milhões de cotas. O preço da cota será de R$ 98,17, que será acrescida de uma taxa de custo unitário de distribuição de R$ 3,48 por cota (3,54%), somando um preço de subscrição e integralização de R$ 101,65.

A oferta do FII BTLG11 vai ser destinada aos investidores em geral. O fundo ainda poderá emitir um lote adicional de cotas de até 25% (R$ 300 milhões), somando um valor máximo de até R$ 1,5 bilhão nessa emissão.

LEIA MAIS: BTLG11 anuncia nova oferta de R$ 1,2 bilhão; veja quem pode participar

Assim, do fundo imobiliário ITRI11 ao BTLG11, essas foram as notícias mais lidas da semana do mercado de FIIs e Fiagros.

foto: João Vitor Jacintho
João Vitor Jacintho

Redator profissional, com atuação no mercado editorial na produção de notícias e conteúdos sobre o mercado de ações, criptomoedas, fundos imobiliários e economia popular. Graduando em Engenharia Química pela Unesp, também já trabalhei como consultor financeiro.

últimas notícias