A gestão do RB Capital I Fundo de Fundos FII (RFOF11), detalhou em seu relatório gerencial divulgado segunda-feira (26), a performance do fundo no mês de junho. Desta forma, a gestora RB Capital Asset publicou os resultados do FII e descreveu as operações realizados no mês. 

O fundo distribuiu R$ 0,61 por cota, como rendimento referente ao mês de junho. A distribuição de rendimentos aos cotistas é calculada de acordo com o resultado apurado sob regime de competência do FII a cada mês. 

Como complemento, a gestora informou que o resultado gerado pelo fundo no período foi de R$ 0,64 por cota. Além disso, o fundo ainda mantém resultados acumulados para distribuir no valor de R$ 0,30 por cota.

Abaixo, observe os resultados em maiores detalhes:

RFOF11

Perfil do portfólio do fundo

O portfólio do RFOF11 segue bem diversificado em diversos setores e pulverizado em 46 fundos.  Do seu capital investido, 71% dos FIIs do RFOF11 são considerados “tijolo”. Deste percentual, reforçou a gestão, “52% dos imóveis são edifícios de alta qualidade técnica, classificados entre A e A+ pela consultoria imobiliária SiiLA Brasil”. 

Os demais 27% do capital investido pelo fundo estão alocados em FIIs de CRIs, sendo que “64% dessa exposição está alocado em fundos de CRI high grade e com maior exposição ao risco corporativo, que consideramos como os mais resilientes do setor”, disse a gestão. 

Em relação à exposição dos indexadores dos CRI, o fundo mantém o equilíbrio entre inflação e CDI. A gestão explicou que mesmo com o baixo rendimento atual do CDI, a preferência pelo indexador reflete a estratégia de proteger a carteira do RFOF11, principalmente com o início do ciclo de alta da taxa de juros. 

Movimentação de carteira

Os fundos de papel mantiveram como principal fonte dos rendimentos do RFOF11, representando 25,4% do total. As altas taxas de inflação – IPCA e IGPM - acumulam altas de 8,4% e 35,7% nos últimos 12 meses, trazendo ganhos aos fundos que possuem ativos indexados à inflação. 

Desta forma, o fundo aumentou seus investimentos dentro do segmento de fundos de CRIs, híbridos e fundos logísticos. O RFOF11 aumentou a exposição no setor de Recebíveis, que abriu oportunidades após as quedas recentes. 

Durante o mês, o fundo participou de seis ofertas, novamente, aproveitando as oportunidades de comprar ativos a preços mais baixos: BTLG11, CPTS11, RBRR11, ALZR11 e VGIP11. 

Na ponta vendedora, o fundo realizou posições principalmente no segmento de ativos financeiros, híbrido e logístico. 

Foi reduzida a exposição aos fundos CPTS11, BTCR11 e PLCR11. Todas com ganho de capital para aquisição das ofertas citadas acima. Em fundos híbridos, foi reduzida a exposição ao fundo SARE11 com ganho de capital. 

No setor logístico, o RFOF11 vendeu posição do BTLG11 com ganho de capital, para entrar na oferta a um preço menor. 

Na ponta compradora, a exposição estratégica em Fundos de CRI, permitiu que o fundo comprasse cotas do HGCR11, CPTS11 e RBRR11. 

Além do aumento da exposição em fundos logísticos através da emissão do BTLG11, o fundo também investiu em BRCO11. 

Por fim, na tabela abaixo é possível analisar o quanto cada segmento possui alocações do fundo:

RFOF11

Conheça o RFOF11

O RB Capital I Fundo de Fundos FII tem por objetivo a obtenção de renda e ganho de capital mediante investimentos em Ativos Imobiliários. Dentre os ativos imobiliários, o fundo deverá buscar investir parcela preponderante de seus recursos em cotas de outros fundos de investimento imobiliário. 

Além disso, o fundo possui patrimônio líquido de R$96 milhões e tem cerca de 1.078.164 de cotas emitidas.  

Por fim, para quem deseja investir no RFOF11, o valor patrimonial de sua cota é de R$89,16, sendo sua taxa de administração de 0,80%a.a. sobre patrimônio líquido ou valor de mercado do fundo se o fundo fizer parte de índice de mercado (IFIX).