A administradora de fundos BTG Pactual Serviços Financeiros S.A. DTVM e a BTG Pactual Gestora de Recursos Ltda. do fundo BTG Pactual Logística (BTLG11), anunciou aos cotistas e ao mercado nesta quarta-feira (5), através de fato relevante, a venda de imóveis de sua carteira.

Os imóveis vendidos pelo BTG Pactual Logística (BTLG11) são:

  • Itambé São Paulo: Que se localiza na Rua Jerônimo Teles Junior nº 54, cidade de São Paulo-SP;
  • Supermarket Rio de janeiro: Que fica na Estrada Rio D'Ouro nº 800. Esse imóvel corresponde ao Lote 02 do PAL 33.840, cidade do Rio de Janeiro - RJ;
  • Magna Vinhedo: Localizado na Rodovia Miguel Melhado Campos (SP 324), km 79,5, cidade de Vinhedo - SP;
  • Ceratti Vinhedo: Fica na Rodovia Miguel Melhado Campos (SP 324), km 79,5, cidade de Vinhedo - SP.

O BTLG11 se comprometeu a vender os imóveis pelo preço total de R$ 168,88 milhões. O comprador vai pagar de forma parcelada pelo comprador ao fundo no formato acordado. Segundo o BTG Pactual Logística é “observada a superação de determinadas condições habituais de mercado para o pagamento de cada parcela”.

Importante destacar que 1ª parcela vai ser recebida pelo BTLG11 na data de fechamento no valor de R$ 43,77 milhões. Do mesmo modo, a. 2ª parcela será recebida em agosto de 2021, com o valor de R$ 82,41 milhões. Além disso, a 3ª parcela será paga pelo comprador em janeiro 2022, no valor de cerca de R$ 42,70 milhões.

Estimativas dos impactos financeiros das vendas ao fundo

As estimativas dos impactos financeiros para o BTG Pactual Logística com o pagamento integral do preço de venda se diversificam. Quanto ao impacto pela venda dos imóveis, a receita do BTLG11 pode ser impactada positivamente em, cerca de, R$ 4,88 por cota conforme forem pagas as três parcelas.

Além disso, a administradora do BTG Pactual Logística ressalta que “esses valores são uma estimativa referente ao lucro com a venda e, caso sejam recebidos em sua integralidade mediante superação das condições precedentes do CVC, serão distribuídos aos cotistas conforme regulamentação aplicável”.

De qualquer modo, haverá também um impacto no aluguel do BTLG11, em que o pagamento será parcelado e o recebimento dos valores de locação dos imóveis pela compradora ocorrerá conforme a proporção do preço pago.

Além disso, a gestora do BTG Pactual Logística ressalta que a venda resultou do trabalho ativo que vem realizando para gerar valor ao fundo e seus cotistas. O fundo diz ainda que “Permanecemos à disposição para prestar quaisquer esclarecimentos adicionais que se façam necessários”.

Outra observação feita pelo BTLG11, é que a administradora e a gestora, ambos vão manter o mercado e os cotistas informados acerca de quaisquer novos eventos materiais relacionados a esta aquisição.

Saiba mais sobre o BTLG11

O BTG Pactual Logística (BTLG11) tem por objeto a obtenção de renda e ganho de capital por meio da exploração de empreendimentos imobiliários focados em operações no segmento de logística. A taxa é de 0,90% ao ano sobre o valor de mercado do fundo.

Em seu último relatório gerencial apresentado sobre o mês de fevereiro de 2021, O BTLG11 tinha 12,98 milhões de cotas emitidas e 9 emissões desde o início do fundo. A data de pagamento do rendimento do mês foi no dia 22 de março de 2021. Esse rendimento foi de R$ 0,60 por cota.

O valor de mercado do BTLG11 alcançou em fevereiro a marca de R$ 1,532 bilhão, que corresponde a R$ 118,00 por cota. O valor da cota patrimonial do fundo atingiu a marca dos R$ 101,10. Desse modo, foi acumulado pelo fundo um retorno de 7,0% em 2021.

O BTG Pactual Logística alcançou no pós-venda a marca dos 101.156 investidores. Além disso, o BTLG11 ficou com uma vacância física de 1,4%. A Área Bruta Locável (ABL) do fundo de classificação A+ ficou em 98%. Enquanto isso, a ABL em SP foi de 76%, considerando um raio 60km de SP.