BCFF11: resultado cai 9,26% e gestão explica motivos; Veja o que aconteceu

O resultado do fundo imobiliário BCFF11 recuou 9,26% em outubro. Em seu relatório gerencial, a gestão explicou o que impactou seu lucro.

BCFF11: resultado cai 9,26% e gestão explica motivos; Veja o que aconteceu
Viver de dividendos de FIIs ou de aluguel de imóveis: quem ganha?Foto: Pixabay

O fundo imobiliário BCFF11 anunciou um resultado de R$ 12,798 milhões em outubro, o que representa uma baixa de 9,26% em relação ao lucro auferido em setembro, que foi de R$ 14,104 milhões.

Apesar da queda no resultado de outubro, a gestão vem mantendo o patamar recorrente de dividendos do BCFF11, que é de R$ 0,56 por cota.

O valor representou um dividend yield de 9,8% em relação à cota de fechamento do mês. Levando em conta os rendimentos e a variação da cota, o BCFF11 gerou um retorno total de 12,9% em 2023, enquanto o retorno do IFIX, no mesmo período, foi de 10,1%.

As receitas do mês se reduziram a R$ 15,023 milhões, enquanto as despesas do fundo somaram R$ 2,225 milhões.

O FII terminou o mês de outubro com uma reserva distribuível de R$ 38,1 milhões, considerando as gerenciais e de contingência, correspondendo a R$ 1,51 por cota antes do desdobramento realizado na proporção de 1 para 8.

Gestão do BCFF11 explica queda no resultado

O resultado do mês de outubro foi de R$ 0,54 por cota, afetado pela diminuição nos rendimentos vindos de fundos imobiliários de CRIs. No entanto, ocorreu um aumento nos rendimentos dos CRIs diretamente investidos pelo fundo.

No caso dos CRIs, o destaque foi para o CRI Martin Brower, cuja operação se encontra ancorada pelo próprio FII BCFF11. Esse papel foi o que financiou a compra e projeto de expansão de um galpão em Guarulhos/SP. Esse imóvel está atualmente alugado em contrato atípico e suas especificações são AAA.

O CRI em questão tem uma rentabilidade equivalente a IPCA + 9,05% ao ano, assim como um LTV de 65%.

Outro destaque do mês de outubro foi o registro de ganho de capital positivo pelo 3º mês seguido, a partir da venda de cotas de fundos imobiliários no mercado secundário, que equivale a R$ 0,03 por cota no pagamento de rendimentos do BCFF11.

“O Fundo adotou uma estratégia de fortalecer o resultado recorrente do seu portfólio nos últimos meses, mas sem abrir mão de posições com alto potencial de destrava de valor”, destacou a gestão.

Nos últimos 12 meses, o BCFF11 comprou posições em 7 Fundos de Fundos (FOFs), que a gestão destaca que estavam com desconto em relação ao valor patrimonial, e que “devem ser uma das primeiras classes de ativos a recuperarem valor com a melhora do cenário econômico, sendo que atualmente essas posições já contam com resultado positivo no fundo”, conclui o relatório.

Tags
foto do autor: João Vitor Jacintho
João Vitor Jacintho

Redator profissional, com atuação no mercado editorial na produção de notícias e conteúdos sobre o mercado de ações, criptomoedas, fundos imobiliários e economia popular. Graduando em Engenharia Química pela Unesp, também já trabalhei como consultor financeiro.

últimas notícias