‌‌‌O‌‌‌ ‌‌‌‌‌‌IFIX‌‌‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌última‌‌‌ quinta-feira‌‌‌ ‌‌‌(17)‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ queda ‌‌de‌‌ -0,03%,‌‌‌ ‌‌terminando‌‌ ‌‌‌o‌‌‌ ‌‌‌dia‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ ‌‌2.747,20 ‌pontos.‌‌‌ ‌‌‌No‌‌‌ ‌‌‌acumulado‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌mês‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ fevereiro ‌‌‌e‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌ano‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ ‌‌‌2022,‌‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌variação‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌índice‌‌‌ ‌‌‌é‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ ‌‌-1,09%‌‌‌ ‌‌‌e‌‌‌ ‌‌-2,06%‌‌,‌‌‌ ‌‌‌respectivamente.‌‌‌ ‌ ‌

‌‌‌Confira‌‌ ‌‌as‌‌ ‌‌principais‌‌ ‌‌notícias‌‌ ‌‌do‌‌ ‌‌mercado‌‌ ‌‌de‌‌ ‌‌FIIs:‌‌

BCRI11 divulga resultados e rendimentos de janeiro

O Fundo de Investimento Imobiliário Banestes Recebíveis Imobiliários (BCRI11), administrado pela BRL Trust DTVM S.A., divulgou nesta quinta-feira (17) os resultados e rendimentos do mês de janeiro.

No mês de janeiro, o BCRI11 distribuiu o valor de R$ 1,25/cota, que equivale a um dividend yield de 1,13%, líquido de imposto de renda. O IGP-M registrado no período foi de 1,82%, apresentando variação de 16,91% em 12 meses, confira abaixo:

BCRI11

Para dar espaço a novas aquisições de CRI que estão no planho do fundo, a gestora manteve sua estratégia de redução de posição em FII e, também, aproveitamos uma oportunidade de mercado para vender parte da posição que tínhamos no CRI Rede D’or 4. 

Ao todo foram R$ 8,2 milhões que se somaram ao caixa, através das vendas feitas no mês. Esse valor contribuiu para a aquisição dos quase R$ 20 milhões que fizemos do CRI Lote 5, que remunera a IPCA + 9,00% a.a.. Mesmo com as vendas, ainda encerramos o mês com um Caixa de apenas 3,38% do PL.

O Banestes Recebíveis Imobiliários FII tem como objetivo a aquisição de ativos financeiros de base imobiliária, como Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), outros ativos de renda fixa e cotas de FII. O Benchmark do Fundo é IGP-M + 6% a.a. 

HABT11‌ ‌informa resultados e mostra plano de investimento 

O‌ ‌Fundo‌ ‌de‌ ‌Investimento‌ ‌Imobiliário‌ ‌‌Habitat‌ ‌Recebíveis‌ ‌Pulverizados‌ ‌(HABT11)‌‌com‌ ‌gestão‌ ‌da‌ ‌‌Habitat‌ ‌Capital‌,‌ ‌divulgou‌ ‌nesta‌ quinta-feira‌ ‌(17)‌ o ‌seu‌ ‌relatório‌ ‌gerencial‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ janeiro,‌ ‌no‌ ‌qual‌ ‌descreveu‌ ‌seus‌ ‌resultados‌. ‌Além‌ ‌disso ‌o fundo mostrou a ‌movimentação‌ ‌de‌ ‌sua‌ ‌carteira‌ ‌de‌ ‌investimentos e seus planos (pipeline) para os próximos meses.‌

Referente ao mês de janeiro, o fundo anunciou dividendos de R$1,20 por cota, equivalente a um dividend yield de 1,08% em relação à cota de fechamento do mês (R$110,62). Confira abaixo:

HABT11

Deste modo, a gestora ressaltou que, nos últimos 12 meses, a distribuição de rendimentos acumulada foi de R$ 18,45 por cota. Além disso, a gestora disse que a distribuição ainda não reflete toda a alocação dos recursos da 3ª emissão.

Investimentos do mês

O HABT11 fechou o mês de dezembro com 87% do seu patrimônio líquido alocado em CRIs, distribuídos em 44 operações distintas, sendo 7,4% do PL alocado em FIIs e 5,59% (R$40,6 milhões) em caixa. 

Em janeiro, o fundo investiu R$ 33,75 milhões em CRIs. Confira abaixo: 

  • R$ 2,25 milhões no CRI Villagio San Pietro, com taxa de 8,50% a.a. + IPCA; 
  • R$ 7,70 milhões na Cota Sênior do CRI Cumaru SP Golf, com taxa de 11,00% a.a. + IPCA
  • R$ 6,10 milhões no CRI Jardins Boulevard, com taxa de 9,50% a.a. + IPCA; 
  • R$ 17,70 milhões no CRI Medabil (Cota Subordinada), com taxa de 10,50% a.a. + IPCA. 

Neste mês, o HABT11 teve o pré-pagamento do CRI Hotel Bella Gramado (taxa ponderada 14,68% a.a. + IPCA), no valor de R$1,6 milhões (principal + juros). 

A gestora explicou que até o dia 14 de fevereiro, o fundo realizou investimentos em CRIs no valor total de R$ 11,25 milhões, em tranches adicionais de 03 CRIs que já estavam no portfólio, com taxa média de 10,92% + IPCA. 

Desta forma, no dia 14 de fevereiro, o HABT11 tinha 88,88% do seu PL alocado em CRIs, 7,4% alocado em FIIs e 3,8% (R$27,96  milhões) em caixa. 

Neste momento, o fundo possui um pipeline de R$339,8 milhões em 12 novas operações de CRIs com taxa média de 10,51% a.a. + inflação e 5,00% a.a. + CDI, e R$222,4 milhões. Deste planejamento, são R$55,7 milhões com liquidação prevista até o final de março. 

O‌ ‌‌Habitat‌ ‌Recebíveis‌ ‌Pulverizados‌‌ ‌é‌ ‌um‌ ‌fundo‌ ‌de‌ ‌investimento‌ ‌imobiliário‌ ‌que‌ ‌tem‌ ‌como‌ ‌objetivo‌ ‌a‌ ‌aquisição‌ ‌de‌ ‌ativos‌ ‌financeiros‌ ‌de‌ ‌natureza‌ ‌imobiliária,‌ ‌com‌ ‌preponderância‌ ‌em‌ ‌Certificados‌ ‌de‌ ‌Recebíveis‌ ‌Imobiliários‌ ‌(CRIs)‌ ‌lastreados‌ ‌em‌ ‌carteiras‌ ‌de‌ ‌recebíveis‌ ‌pulverizados.‌ ‌

RBRF11 informa resultados e comenta sobre decisão da CVM

A gestora RBR Gestão de Recursos do fundo RBR Alpha Multiestratégia Real Estate (RBRF11), anunciou aos cotistas nesta quinta-feira (17), através de relatório gerencial, os resultados do mês de janeiro. A gestora também comentou sobre a decisão da CVM à respeito dos dividendos dos FIIs.

Referente a janeiro, o fundo anunciou a distribuição de rendimentos de R$0,60 por cota, com dividend yield de 10,5% a.a. sobre cota de mercado. Desta forma, o RBRF11 fechou o período com uma reserva de resultados de R$0,69/cota. Veja abaixo:

RBRF11

Neste caso, a gestora afirmou que o dividendo de R$0,60/cota segue em linha com o guidance de dividendos do primeiro semestre de 2022, que será na faixa de R$0,60/cota a R$0,75/cota. 

Em termos de dividend yield, a variação no semestre estará entre 10,6% a.a. e 13,4% a.a. Porém, a gestora ressalta que isso não é uma promessa de retorno, mas uma projeção de acordo com o desempenho do fundo. 

O entendimento da CVM e o RBRF11

A gestora comentou sobre o novo entendimento da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para o fundo MXRF11. Segundo a autarquia, a forma correta de apuração dos dividendos deve ser feita a partir do lucro contábil e não mais caixa. 

Neste caso, a ANBIMA, junto às administradoras dos fundos, questionou o parecer, que pode alterar a dinâmica de fundos de recebíveis e FoFs também, tanto é que a CVM suspendeu a deliberação a pedido temporariamente. A gestão disse estar acompanhando atentamente a discussão. 

Conforme a dinâmica cotada, a gestora destacou sobre a venda de ativos no prejuízo. Caso um ativo seja vendido abaixo do preço de aquisição, a realização desta perda (regime de caixa) afeta a capacidade de distribuição de dividendos do fundo. 

Deste modo, a gestora explicou que o desinvestimento de uma posição com prejuízo, algo extremamente normal entre FoFs, pode resultar em um período sem distribuição de dividendos aos cotistas. 

Desde o início de 2021, o RBRF11 vem qualificando seu portfólio com realização de perdas em posições com menos risco/retorno. Obviamente, essas posições são equilibradas com ganhos de capital em outras operações, de forma a não impactar a distribuição de dividendos, garantiu a gestora. 

Operações do mês

Com parte do capital das vendas, em janeiro, o fundo alocou cerca de 1% do patrimônio líquido no CRI Yuny a uma taxa de CDI + 3,5% a.a. e prazo de 3 anos. 

Além disso, a gestora reforçou que, para os próximos meses, é de se esperar que este book de crédito direto (CRI) ganhe maior representatividade no portfólio substituindo, em parte, os fundos de crédito e de tijolo. 

Em complemento, a gestora disse trabalhar ativamente nos ativos de tijolo da carteira de FIIs, para maximizar os investimentos do fundo e de todos os cotistas. 

Por fim, a gestora analisou a rentabilidade ajustada (PL + Dividendos) do RBR Alpha desde seu início em Set/2017, o fundo supera a performance do IFIX no mesmo período em 8,8%, representando 135,1% do IFIX: 

RBRF11

O RBR Alpha Multiestratégia Real Estate é um fundo imobiliário do tipo papel, com objetivo de auferir rendimentos e ganhos de capital na aquisição de FIIs, Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) e outros ativos líquidos ligados ao mercado imobiliário.